Pular para o conteúdo principal

Eletrobras: trabalhadores entram em greve a partir desta terça-feira (15)

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Os trabalhadores do Sistema Eletrobras de todo o Brasil entrarão em greve a partir de zero hora desta terça-feira (15). A paralisação é uma resposta ao agendamento da MP 1031/2021, que prevê a privatização da Eletrobras, na pauta de votação no Senado. É uma resposta também ao descumprimento do ACT Nacional e às demissões de dirigentes sindicais.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

A MP 1031 foi aprovada na Câmara dos Deputados no dia 19 de maio de 2021, apesar da contestação realizada por diversos especialistas pelo fato da MP não atender principalmente ao seu fundamento de urgência e da falta de estudos isentos sobre seu impacto nos preços da energia e na economia nacional.

Em seu relatório final, o deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) - relator desta MP - argumentou que a urgência da privatização da Eletrobras se deve pela perda da capacidade de investimentos da empresa.

Uma nota técnica da  Associação dos Engenheiros e Técnicos do Sistema Eletrobras (AESEL) tenta mostrar, por meio de dados públicos, que a estatal de energia elétrica possui "excelente situação financeira e capacidade para investimentos no setor elétrico brasileiro".

Especialistas no setor elétrico já alertaram para os riscos da venda da estatal de energia, entre os quais, o aumento das tarifas e a falta de pesquisa no setor. A Eletrobras é vinculada ao Ministério de Minas e Energia e responde por 30% da energia gerada no País.

A politica de privatização do setor elétrico não é de agora e foi sendo feita retalhadamente. Com a MP, o governo propõe reduzir sua participação na estatal, deixando de ser o controlador, abrindo mão do poder de decisão sobre a Eletrobras, que é uma empresa de capital misto. Hoje, o Governo Federal é o controlador, detendo mais de 70% das ações da companhia.

A MP da Eletrobras perde a validade em 22 de junho, razão pela qual os eletricitários estão se mobilizando para mostrar aos senadores e à sociedade brasileira as consequências da privatização.