Pular para o conteúdo principal

Empregados da Caixa e Banco do Brasil protestam contra privatizações

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Atos fazem partem de um calendário unificado de luta que reuniu trabalhadores da Caixa e Banco do Brasil, marcando o Dia de Defesa dos Bancos Públicos e dos Direitos

O Dia de Defesa dos Bancos Públicos e dos Direitos marcou esta terça-feira (10) em todo o Brasil. Os atos fazem partem de um calendário unificado de luta, reunindo trabalhadores da Caixa e do Banco do Brasil. Empregados e entidades defensoras protestaram contra as privatizações de áreas estratégicas e rentáveis das instituições e contra o processo de reestruturação.

Em Brasília, o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Jair Pedro Ferreira, destacou que o governo Bolsonaro quer vender as empresas públicas brasileiras. “Eles estão desmontando as empresas. Querem fazer vendas ou IPO [oferta inicial de ações] dos setores produtivos que compõem o resultado da Caixa”, alerta.

De acordo com Jair, o governo quer repartir a produção com o setor privado e dividir o lucro que é repassado para o Tesouro Nacional. “Querem arrumar sócios privados para pegar parte dos recursos que retornam para a sociedade brasileira através de programas sociais, fundos e de uma série de benefícios. Essas ações enfraquecem a empresa e diminuem o seu papel”, explica.

Durante o ato, o vice-presidente da Fenae, Sergio Takemoto, disse que os empregados da Caixa já enfrentaram momentos muito difíceis, mas nunca um momento como esse. “O governo é inimigo dos seus trabalhadores. Nós não somos parasitas da Nação. Nós somos servidores públicos e, como servidores públicos, nós levamos serviços a toda a população”.

Empregados dos Bancos

A deputada federal Erika Kokay marcou presença no ato, em Brasília. Indignada, ela explicou como os trabalhadores PCDs estão sendo injustiçados nessa gestão da Caixa. “Milhares de pessoas com deficiência entraram na Caixa por meio de decisão judicial, pois o Banco estava se negando a cumprir cotas. E as pessoas entraram sem plano de saúde”, ressalta.

Lucro da Caixa

O presidente da Fenae lembrou ainda que, recentemente, a Caixa divulgou o seu lucro de 2019. O Banco registrou lucro líquido recorde de R$ 21,1 bilhões, um aumento de 103% em relação a 2018. Para Jair, esse número é preocupante, pois a maior parte é composta pelas vendas de ativos – mais de R$ 15,5 bilhões.