Pular para o conteúdo principal

Eleições 2022: Pesquisa mostra eleitor de Ciro à direita em comparação com apoiadores de Lula

Imagem
Arquivo de Imagem
Moro

A mais recente pesquisa FSB/BTG, além de traçar os cenários de intenção de voto, levantou os temas que mais mobilizam a média dos eleitores de cada um dos principais candidatos à Presidência da República. No geral, o levantamento revela que o perfil do eleitorado de Ciro Gomes (PDT) se localiza entre os de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), inclusive para temas econômicos.

Os critérios utilizados pela FSB são tradicionalmente associados a posições de esquerda ou direita, tanto no campo da economia quanto em relação a questões relativas a direitos civis de minorias ou a matérias de direito penal, pautas usualmente chamadas de "costumes".

A retórica de Ciro tem sido calcada nos últimos anos na defesa do que chama de "Projeto Nacional de Desenvolvimento", o que implicaria no combate ao neoliberalismo e ao setor rentista. Boa parte das críticas do pedetista e seu entorno em relação a Lula e ao PT diz respeito justamente na suposta incapacidade destes em romper com o liberalismo. O perfil do eleitor de Ciro traçado pela FSB, entretanto, contraria o discurso de campanha.

Leia também:
- Eleições 2022: Nova pesquisa reforça tendência de alta de Lula
- Desde implementação, Auxílio Brasil já perdeu quase R$ 25 para inflação

Economia

A pesquisa questionou aos eleitores declarados de cada candidato o quanto a vontade de votar no escolhido "aumenta" no caso da defesa de um dos temas.

Ainda que dento da margem, os eleitores de Ciro se animam mais posições liberais que os de Lula. Entre os apoiadores de Gomes 21% dizem se animar com a defesa da "Redução do tamanho do Estado. Nos votantes petistas, o percentual é de 17%. No grupo dos eleitores de Bolsonaro este percentual é de 24% e o nos de Simone Tebet (MDB) é de 37%.

Quando o tema é a defesa de "Privatizações" o grau de animação de cada grupo de eleitor é, ordem crescente: Lula (22%), Ciro (25%), Tebet (43%) e Bolsonaro (48%). Novamente, portanto, pelos critérios usuais de pesquisas de opinião político, o perfil do eleitor de Ciro estaria à direita do lulista.

Quando questionados sobre a "Revogação da reforma trabalhista", 49% dos eleitores do PT se mostram animados. Em seguida vêm os de Ciro (44%), Tebet (35%) e Bolsonaro (31%).

Em relação a "programas sociais de distribuição de renda", o eleitorado cirista se mostra pouco mais animado (60%) do que o de Tebet (57%). Entre os apoiadores de Lula, 68% se dizem mais animados em votar no petista por conta desta pauta. O grupo de apoio a Bolsonaro aparece na rabeira, com 51%.

Direitos civis

No campo dos chamados "costumes", o eleitorado brasileiro se mostra majoritariamente conservador.

O único critério em que o eleitorado de Ciro é menos conservador que o de Lula é em relação a "Porte de armas". Entre os que optam pela candidatura do PT, 18% dizem que a vontade de votar no petista aumenta caso ele encampe essa pauta. No eleitorado de Ciro, esse percentual é de 16%. Mais de metade (52%) do eleitorado de Bolsonaro se anima com a questão. Apenas 9% dos potenciais votantes de Tebet aderem a esta questão.

Em relação à "Redução da maioridade penal para 16 anos", a ordem crescente de ânimo entre cada eleitorado é: Lula (52%), Tebet (60%), Ciro (62%) e Bolsonaro (74%). No quesito "União de pessoas do mesmo sexo", o eleitorado do petista se mostra mais progressista que os demais. Na ordem crescente: Bolsonaro (9%), Tebet (27%), Ciro (30%) e Lula (34%).

No último quesito - "Legalização do Aborto" - o eleitorado de Tebet aparece com o maior percentual de quem encampa essa bandeira: 31%. O patamar da emedebista está 10 pontos percentuais acima do de Ciro (21%), que também perde para o eleitorado de Lula (26%). Apenas 9% do eleitorado de Bolsonaro defende a pauta.