Pular para o conteúdo principal

Eleições 2022: Disputa presidencial pode terminar no 1º turno, afirma especialista

Imagem
Arquivo de Imagem
A eleição pode terminar no primeiro turno?

Embora ainda haja oito meses para o primeiro turno das eleições 2022, o assunto já domina os noticiários. Neste ano, a população escolherá deputados estaduais, deputados federais, senadores, governadores e o presidente da República. E a manutenção ou a troca do presidente vem sendo o tema mais debatido.

A eleição para a presidência não costuma ser decidida no primeiro turno - a última vez que isso ocorreu foi em 1998 - mas, em 2022 pode ser diferente. "É muito difícil afirmar que as eleições serão decididas em primeiro turno", afirmou Alberto Carlos Almeida, cientista político, sociólogo e professor da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Entretanto, o cientista político explica que observando as pesquisas eleitorais, Lula vem mantendo há sete meses uma forte vantagem sobre o segundo colocado, o atual presidente Jair Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM:
- Eleições 2022: Cenário eleitoral está consolidado há 7 meses, afirma cientista político
- "Metas de inflação no Brasil são irrealistas e não serão cumpridas", afirma presidente da Cofecon

Terceira e quarta vias

O xadrez das eleições não deve ser decidido apenas por dois jogadores. O papel que uma possível candidatura da terceira via terá, poderá adiantar ou adiar o resultado do jogo. Almeida relembra que até agora, três pré-candidatos brigam para se consolidarem como terceira via: Sérgio Moro, Ciro Gomes e João Doria.

"Se um deles desistir de concorrer, aumenta bastante a chance da eleição ser decidida no primeiro turno", afirma o especialista.

Porém, não são somente os candidatos com mais votos que podem desequilibrar o cenário eleitoral. Há também mais dois fatores importantes: a entrada de um candidato "nanico" - mas com chances de crescimento, como André Janones - e os resultados econômicos até outubro.

Sobre o primeiro, Almeida explica que "a eleição pode ficar tão próxima de ser decidida no primeiro turno, que qualquer candidato que desista da corrida eleitoral, por menos expressivo que seja, tem possibilidade de influenciar na disputa".

LEIA TAMBÉM:
- Valores a receber: Banco Central divulga novo site para consulta de dinheiro esquecido
- Banco Central alerta para você não cair em golpes

A situação econômica tende a impactar o voto no primeiro turno

Já o deslanchar da economia é uma incógnita, segundo o professor, mas terá um enorme peso na disputa do primeiro turno. "Se a economia melhorar, Bolsonaro tende a tirar votos de Lula" informa o Almeida. Mas se a economia piorar o candidato petista pode conseguir ainda mais votos.

Em análise anterior, o especialista explicou que Bolsonaro é votado por aqueles que consideram seu governo ótimo e bom. Já Lula será votado por aqueles que consideram o atual governo ruim e péssimo. E as oscilações da economia podem influenciar muito no número de pessoas que considera o governo ótimo ou bom e ruim ou péssimo.