Pular para o conteúdo principal

Eleições 2022: Com nova decisão judicial, Pros recua de apoio a Lula

Imagem
Arquivo de Imagem
Lula

Com uma nova mudança de posição do Superior do Tribunal de Justiça (STJ) em relação à direção do Pros, a legenda neste momento deve recuar do apoio já em primeiro turno de Luiz Inácio Lula da Silva, do PT.

O ministro da corte Antonio Carlos Ferreira revogou na noite de quarta-feira (3) a decisão que o vice-presidente do STJ, Jorge Mussi, havia tomado no último domingo (31) e que devolvia a presidência da legenda a Eurípedes Júnior.

Leia também:
- BC: Copom eleva taxa de juros para 13,75% ao ano
- Eleições 2022: Lula obtém apoio do Pros e deve angariar Avante

Com a decisão de Ferreira, Marcus Holanda volta a assumir o comando do Pros. Holanda capitaneou uma articulação para retirar Eurípides da presidência do partido. O procedimento interno é contestado por Eurípides e teve seus argumentos aceitos provisoriamente por Mussi.

O ministro Ferreira, entretanto, entendeu que a questão não pode ser resolvida, nem em caráter liminar, pelo STJ, por haver questões pendentes nas instância judiciais inferiores.

Divergência

Holanda é um dos articuladores da pré-candidatura do coach Pablo Marçal, enquanto Eurípedes sustenta o apoio ao nome do PT desde o primeiro turno.

O Pros deve realizar sua convenção eleitoral na próxima sexta-feira (5), último dia do prazo para que as legendas tomem decisões sobre nomes para a disputa de outubro. O resultado da convenção, assim, dependerá em grande parte de quem estiver no comando do Pros a partir das decisões judiciais.

Nesta quinta-feira (4), Lula deve conversar com o pré-candidato do Avante, André Janones, que sinalizou a possibilidade de retirar seu nome da disputa para apoiar o petista. A expectativa é de que o acordo seja anunciado ainda hoje.