Pular para o conteúdo principal

Disparada nos preços dos alimentos faz projeção da inflação em 2020 aumentar

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

A alta no preço dos alimentos fez com que o Governo Federal elevasse a projeção da taxa de inflação para o ano de 2020. A previsão para 2021 também foi aumentada.

O último Boletim Macrofiscal, documento elaborado pela Secretaria de Política Econômica (SPE) da Ministério da Economia, apontou que o grupo alimentos do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) atingiu uma taxa acumulada nos últimos 12 meses de 18,41% em outubro. Para efeitos comparativos, o grupo tinha um índice de 5,06% em março.

Assim, a SPE prevê um IPCA de 3,13% em 2020. A previsão anterior era de 1,83%. A nova projeção ainda se encontra na meta de inflação, cujo centro é de 4%, admitindo variação de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

A estimativa para 2021 é ainda maior. A SPE prevê agora IPCA de 3,23% para o próximo ano. A última estimativa, realizada em setembro, era de 2,94%. A projeção para 2021 se coloca também mais próxima do centro da meta inflacionária para o ano que vem, estabelecida em 3,75%.

A SPE também reafirmou sua posição em defesa do programa ultraliberal de Paulo Guedes. Enquanto economistas apontam que a queda no PIB brasileiro de 2020 não será maior por conta de elementos como o auxílio emergencial, a equipe econômica reiterou o entendimento de que o gasto público deve ser contido.