Pular para o conteúdo principal

Dia nacional de luta e paralisação dos servidoes públicos federais acontece hoje (18)

Imagem
Arquivo de Imagem
greve funcionalismo público

Servidores públicos federais realizam hoje uma “paralisação de advertência” contra o Governo Federal. Na mesa de negociações, os trabalhadores do Estado reivindicam uma reposição salarial de 19,99%, que corresponde às perdas inflacionárias durante o governo Bolsonaro - 2019 a 2021.

Em Brasília, onde se concentra grande parte da categoria, as mobilizações aconteceram pela manhã, em frente ao prédio do Banco Central. Na parte da tarde, às 14h, ocorrerão em frente ao Ministério da Economia.

Além dos trabalhadores dos órgãos públicos, está prevista também uma greve dos professores universitários das instituições federais, como as universidades e os institutos federais. "[O]Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) pode deliberar sobre uma greve unificada pela reposição salarial, condições de trabalho, revogação do teto de gastos, contra a reforma administrativa (PEC 32) e a construção de uma pauta específica da educação", informou a CUT.

LEIA TAMBÉM:
- Trabalhadores da Eletrobras entram em greve por tempo indeterminado
- Oxfam: Um novo bilionário surgiu a cada 26 horas durante a pandemia

Governo não negocia e paralisação pode se transformar em greve

Já há também outro dia de protesto dos servidores federais: 24 e janeiro, Dia Nacional de Luta dos Aposentados.

Ainda em janeiro será realizada uma plenária “ampliada” com o conjunto dos servidores públicos, sendo que o funcionalismo deverá realizar mais um protesto na abertura do ano legislativo no Congresso Nacional, que deve ocorrer em 22 de fevereiro.

Segundo as entidades sindicais que representam os servidores, assembleias e atos ocorrerão durante o começo de ano, com um indicativo de greve nacional para o dia 9 de março. 

Com informações da CUT.