Pular para o conteúdo principal

MP 995: Desmembramento, fatiamento e privatização da Caixa

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

De acordo com Juvandia Moreira, presidenta da Contraf-CUT, a estratégia do governo é o desmembramento, fatiamento e, finalmente, a privatização da Caixa.

A Medida Provisória 995, enviada pelo governo ao Senado no dia 7 de agosto, segue dando o que falar. Ela prevê que a Caixa Econômica Federal possa transformar suas áreas estratégicas – e mais rentáveis, em subsidiárias. E, com isso, sua diretoria pode vendê-la sem consultar o Congresso Nacional, como prevê a Constituição.

Juvandia Moreira, presidente da Contraf-CUT, entidade que representa os financiários e bancários de todo o Brasil, é contra a MP. De acordo com ela, em tempos de pandemia, “O governo, ao invés de pensar em ações para proteger a população e a vida dos brasileiros, edita Medidas Provisórias para entregar o patrimônio do povo brasileiro”.

O desmembramento da Caixa atinge em cheio o povo

Sob o mesmo ponto de vista de Juvandia, a população conhece as atribuições da Caixa, principalmente depois que metade dos brasileiros recorreu a ela para obter o auxílio emergencial.

A Caixa atende a população mais vulnerável, mas também à classe média e também a alta. Entrega desde benefícios sociais como o Bolsa Família, até o FIES e o financiamento imobiliário. Contudo, a ambição do mercado sobre suas áreas rentáveis – tais como Caixa Seguridade, Loterias e Caixa Cartões -não tem “responsabilidade social”.

Confira na íntegra o comentário de Juvandia Moreira sobre a MP 995 e fique por dentro!