Pular para o conteúdo principal

Desemprego voltou a subir antes mesmo da chegada do coronavírus no Brasil

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Desemprego atinge 12,3 milhões de brasileiros no trimestre móvel de dezembro de 2019 à fevereiro de 2020

A taxa de desemprego voltou a subir antes da chegada da pandemia do coronavírus no Brasil e das medidas restritivas e de isolamento que foram adotadas por todo o País. Entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020, chegou a 11,6%, atingindo 12,3 milhões de pessoas.

Os números foram divulgados nesta terça-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua.

De acordo com o IBGE, esse crescimento foi influenciado pelo aumento da procura por emprego e pelo corte de postos de trabalho nos setores de construção, administração pública e serviços domésticos.

Entretanto, a taxa de informalidade caiu de 41,1% – no trimestre de setembro a novembro de 2019 – para 40,6% no trimestre encerrado em fevereiro deste ano. Mas ainda são 38 milhões de brasileiros informais.

Nesse grupo estão os trabalhadores sem carteira, trabalhadores domésticos sem carteira, empregadores sem CNPJ, os conta própria sem CNPJ e trabalhadores familiares auxiliares.

A Pnad Contínua mostrou ainda que o total de pessoas fora da força de trabalho chegou a 65,9 milhões, patamar recorde desde o início da pesquisa, no primeiro trimestre de 2012. Uma alta de 1,3% (mais 815 mil pessoas) em relação ao trimestre móvel anterior.

Neste grupo estão as pessoas que não procuram trabalho, mas que não se enquadram no desalento (pessoas que desistiram de procurar emprego). Os desalentados somaram 4,7 milhões no trimestre encerrado em fevereiro.