Pular para o conteúdo principal

Dataprev: Novo prazo para contestar o cancelamento do auxílio emergencial de R$ 600

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

O Governo Federal abriu novos prazos de contestação para os brasileiros que tiveram o auxílio emergencial de R$ 600 cancelado. A solicitação deve ser feita exclusivamente pelo site da Dataprev. O prazo começa nesta sexta-feira (11) e vai até o dia 20 de dezembro.

Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin.

O Ministério da Cidadania alerta que todo o processo é digital, ou seja, o cidadão não precisa procurar as agências da Caixa, as lotéricas ou postos de atendimento do Cadastro Único.

De acordo com a Pasta, esses pagamentos foram cancelados por ter sido identificado indícios de irregularidades pela Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU).

Dentre as irregularidades estão: rendimentos acima do limite, cargos eletivos, militares, servidores públicos, ou mesmo CPFs irregulares.

Vale destacar que essas contestações não se referem às do auxílio emergencial residual de R$ 300, que têm outros prazos (acesse aqui).

Leia também:
Dataprev: Ainda é possível contestar o cancelamento do auxílio emergencial de R$ 300
Bolsa Família: Última parcela do auxílio emergencial começa a ser paga hoje (10)
– Substituto do Minha Casa Minha Vida exclui população de baixa renda e ataca moradia de interesse social

Como contestar pelo site da Dataprev

Os brasileiros que atendem aos critérios de elegibilidade deverão entrar no site da Dataprev. Após digitar os dados pessoais, irá aparecer a situação do cadastro e a opção para solicitar revisão do cancelamento.

Dataprev

Defensoria Pública

Para ampliar e facilitar o acesso ao processo de contestação, o Ministério da Cidadania firmou parceria com a Defensoria Pública da União (DPU).

“O objetivo é solucionar e tornar mais célere os casos de pessoas que tiveram o auxílio emergencial indeferido por meio administrativo, mas que possuem documentos que podem comprovar a atual situação, sem necessidade de acionar a Justiça”, explica a Pasta.