Pular para o conteúdo principal

Daniella Marques assume cargo na Caixa na terça-feira (5)

Imagem
Arquivo de Imagem
Daniella Marques

Daniella Marques Consentino teve o nome aprovado na sexta-feira (1º) pelo Comitê de Elegibilidade da Caixa Econômica Federal e assinou o termo de posse. Ela assumirá oficialmente o cargo na próxima terça-feira (5), em cerimônia oficial no Palácio do Planalto.

Consentino é hoje o braço direito do ministro da Economia, Paulo Guedes, e integra o governo Bolsonaro desde quando Guedes assumiu a Pasta. Ela estava lotada como secretária especial de Produtividade, Emprego e Competitividade no Ministério da Economia desde fevereiro de 2022.

Daniella Consentino substituirá Pedro Guimarães, que pediu demissão na quarta-feira (29) após ser denunciado de assédio sexual por funcionárias do Banco Público. 

Braço direito de Paulo Guedes

Daniella Marques já trabalhava com Paulo Guedes antes de ser levada por ele para integrar o Ministério da Economia. Ela fazia parte do grupo Bozano que, junto com o Modal e o Plural, integra a rede nacional de ligações de Paulo Guedes.

A atual presidente da Caixa inclusive foi investigada em um inquérito contra a Bozano Investimentos. A empresa foi citada na Operação Greenfield como tendo incorporado a BR Educacional Gestora de Recursos S/A, de Paulo Guedes, que, através do Fundo de Investimentos (FIP) Brasil de Governança, fez investimentos na Enesa, com recursos de sete fundos de pensão, que viraram pó.

Também era responsável por estes investimentos, o FIP Caixa Modal Brasil Óleo e Gás, incorporado pela Brasil Plural Gestão de Produtos Estruturais. Ambos pertencem às gestoras de recursos Modal e Plural, depois transformadas em bancos.

Na Plural trabalharam ex-sócios do BTG-Pactual, entre eles, o ex-presidente da Caixa, Pedro Guimarães.