Pular para o conteúdo principal

Cuidado! Golpe do nome negativado no Serasa circula por e-mail

Imagem
Arquivo de Imagem
Golpe

Está circulando por e-mail mais um golpe envolvendo o nome do Serasa. Desta vez, os golpistas falam que o seu nome será negativado, pois você está com uma dívida que não foi paga. Para evitar a negativação do nome, o cidadão teria que negociar a dívida clicando em um link disponível no e-mail.

Reconta Aí foi atrás das informações para explicar passo o passo os motivos do e-mail ser um golpe somente para roubar dados pessoas dos brasileiros. Primeiro, ao colocar o cursor do mouse em cima do link, é possível ver na parte inferior que o endereço do link não é um endereço oficial do Serasa, como mostra a figura abaixo (veja o endereço oficial clicando aqui).

Ao verificar de onde o e-mail foi enviado, percebemos que ele não vem do Serasa. Isso porque o domínio oficial da instituição financeira é serasa.com.br. Assim, todos os e-mail enviados por eles devem ser @serasa.com.br. No golpe em questão foi usado o email [email protected]

Além disso, tem um e-mail na mensagem caso você queira responder. É o [email protected] Mais uma vez reforçamos que instituições financeiras não entram em contato com clientes usando e-mails pessoais. Essa é outra prova de que a mensagem em questão é um golpe.

LEIA TAMBÉM:
- Alerta de Golpe: Criminosos se passam por assistente virtual do INSS para obter dados via WhatsApp
- Cuidado com o golpe do "mandado de intimação" que circula por e-mail
- Cuidado! Golpe do PIX está circulando por e-mail

Como não cair nesses golpes

Esse tipo de golpe onde o hacker usa um link de um site falso é conhecido como técnica Phising. Os assuntos usados como isca são variados e um velho conhecido das pessoas é o comprovante de transferência enviado por e-mail.

Para o advogado Rafael Faben, especialista em Direito Digital e Proteção de Dados Pessoais, é fundamental que as pessoas tomem algumas precauções para evitar ao máximo cair em golpes virtuais.

O primeiro passo é desconfiar e não clicar em qualquer link enviado em nome de órgão governamentais. “Antes de clicar, pesquise no Google se aquela informação é realmente verdadeira ou não”, explica Faben.

De acordo com o advogado, o ideal é seguir somente as orientações repassadas pelo site ou aplicativo oficiais das instituições. E, caso ainda tenha dúvidas sobre a veracidade do e-mail, busque informações direto com seu advogado.

Atenção! Sempre desconfie de promessas fáceis.