Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid: Servidora do Ministério da Saúde nega envolvimento com deputado Ricardo Barros

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Regina Célia Silva Oliveira, servidora do Ministério da Saúde que é vista como personagem chave no caso Covaxin, negou hoje (6) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid que seja apadrinhada do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR).

O parlamentar, líder do governo na Câmara, é suspeito de ser o operador de um esquema de irregularidades na compra da vacina indiana Covaxin, que foi suspensa após o surgimento do escândalo.

Veja também:
- CPI da Covid: Servidora do Ministério da Saúde não consegue explicar o que faz na pasta
- Dominguetti apresenta suposto áudio do deputado Luís Miranda negociando vacinas

Oliveira chegou a afirmar que não se lembrava quem era ministro em dezembro de 2016, quando foi nomeada para um cargo de confiança na pasta. O ministro à época era Ricardo Barros.

"Foi meramente mudança de função", respondeu ela. A servidora afirmou não ter contato com Barros e que desconhecia se o político ainda exercia influência sobre o Ministério.