Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid: Semana começa com depoimento de Nise Yamaguchi

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

A semana da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado deve ter como foco o chamado tratamento precoce - incluindo o uso de cloroquina -, além da imunidade de rebanho, medidas vistas como sem eficácia pela comunidade científica. Os dois dias de depoimento serão ocupados por médicos.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

Na terça-feira (1º), a médica Nise Yamaguchi presta seu depoimento à Comissão. A médica, que chegou a ser cotada para ocupar o comando do Ministério da Saúde, é conhecida por defender o uso de cloroquina e o chamado isolamento vertical combinado à imunidade de rebanho - ou seja, restrições a grupos de risco e livre circulação para o restante da população.

Yamaguchi é suspeita de integrar o chamado 'gabinete paralelo' que teria orientado Jair Bolsonaro sobre a pandemia durante as gestões de Mandetta e Teich. Seu nome foi citado como um dos principais na movimentação de tentativa de alteração da bula da cloroquina. Segundo depoimentos na CPI, foi ela quem explicou a proposta à Anvisa.

Um dia depois, na quarta-feira (2), um conjunto de médicos deve prestar depoimento.

Entre eles estão nomes como o do presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Clovis Arns da Cunha, conhecido por criticar o chamado "kit covid". Zeliete Zambom, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade que também será questionada na CPI, também deve fazer coro contra o chamado "tratamento precoce".

Leia também:
- CPI da Covid: Randolfe Rodrigues pede que Comissão convoque Jair Bolsonaro
- CPI da Covid: Convocação de governadores é aprovada; maioria é do PSL