Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid: Renan Calheiros afirma que relatório apontará crimes contra a humanidade

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado afirmou nesta quarta-feira (15) que o relatório final apontará um rol extenso de condutas criminosas por parte de agentes públicos durante a condução da pandemia, incluindo crimes contra a humanidade, regulados pelo direito internacional.

"Uma enxurrada de crimes comuns. Crimes comuns cometidos por autoridades públicas. E crimes de responsabilidade e [até mesmo] crimes contra a humanidade, conforme estabelecido pelo Estatuto do Tribunal Penal Internacional", disse Renan Calheiros (MDB-AL).

VEJA TAMBÉM:
- Suspeito de ter atuado como lobista da Precisa Medicamentos, CPI quer ouvir Marconny Faria nesta quarta (15)
- Representação feminina em cargos de liderança em Ciência e Tecnologia não passa de 2%

Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI, emendou dizendo que os responsáveis "não ficarão impunes diante da Justiça".

As falas foram feitas durante o depoimento do advogado Marconny Albernaz, suspeito de ter atuado como lobista da Precisa Medicamentos no caso Covaxin.

Albernaz sustentou que não trabalha como lobista, atuando apenas na "assessoria técnica e política" ao setor privado. Em seu relato, afirmou trabalhar na "análise de viabilidade política", inclusive para parlamentares.

O depoente se negou a apontar para quais parlamentares já trabalhou, mesmo que congressistas não façam parte do setor privado, pois alegou cláusula de confidencialidade nos contratos.