Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid recebe 173 requerimentos em 24 horas

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 foi instalada ontem (27) no Senado e até a manhã desta quarta-feira (28), já recebeu 173 requerimentos feitos por congressistas – 58 deles para a convocação de testemunhas, segundo informações da Agência Senado.

A CPI da Covid vai investigar a atuação do Governo Federal no combate à pandemia e o repasse de verbas aos estados.

O suposto desvio de recursos repassados pela União a estados e municípios é tema de uma série de requerimentos de convocação e pedidos de informação.

Além dos quatro ministros da Saúde que atuaram durante a pandemia de coronavírus, há requerimentos para a convocação de outros três auxiliares do presidente Jair Bolsonaro:

Paulo Guedes (Economia): Se os requerimentos forem aprovados, Paulo Guedes deve ser ouvido sobre o auxílio emergencial e outras medidas econômicas de contenção da pandemia.

Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações): O ministro astronauta deve ser chamado para falar sobre o desenvolvimento de vacinas contra a covid-19:

Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União): deve depor sobre o eventual desvio de recursos transferidos pela União para estados e municípios.

Leia também:
CPI da Covid: Mandetta deve ser ouvido na próxima semana

Os congressistas também pedem a convocação para ouvir o ex-secretário especial de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten.

Outros requerimentos sugerem a convocação do ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para esclarecer o processo de aquisição de insumos e vacinas no mercado internacional.

Os parlamentares apresentaram ainda um pedido para a convocação do ex-comandante do Exército, general Edson Pujol. Durante a gestão dele, o Laboratório do Exército intensificou a produção de cloroquina, um medicamento sem eficácia comprovada contra a covid-19.

Um requerimento à Presidência da República solicita informações sobre os deslocamentos do presidente Jair Bolsonaro pelo comércio de Brasília e pelo Entorno do Distrito Federal desde março do ano passado.

Com informações da Agência Senado