Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid quer saber da relação de Ricardo Barros com a Precisa Medicamentos

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

A CPI da Covid ouve hoje (12) o líder do Governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR). O parlamentar é suspeito de ser o mentor por trás das supostas irregularidades na compra da vacina Covaxin.

Os senadores querem esclarecer a relação de Barros com Francisco Maximiano, dono da Precisa Medicamentos, que teria intermediado a venda de vacinas da Covaxin para o Ministério da Saúde.

VEJA TAMBÉM:
- Farmacêutica nega responsabilidade por manifesto pago por ela recomendando ivermectina
- Voto impresso: A verdade sobre a urna eletrônica que Bolsonaro não te conta

Maximiano é sócio de outra empresa, a Global Gestão em Saúde, que intermediou contrato suspeito com o Ministério da Saúde, quando Barros chefiava a pasta. Barros foi ministro entre 2016 e 2018, durante o governo Michel Temer.

Segundo apontou o deputado Luis Miranda (DEM-DF) em depoimento à CPI no final de junho, o nome de Ricardo Barros teria sido mencionado pelo presidente Jair Bolsonaro em conversa no Alvorada.

Aos senadores, Miranda disse que Bolsonaro desconfiava da atuação do deputado pressionando o Ministério da Saúde em favor da compra da vacina da empresa indiana Bharat Biotech. 

Com informações da Agência Senado