Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid: Presidente do colegiado, Omar Aziz, reclama de falta de objetividade em respostas de Pazuello

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

O general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, prometeu responder a todas as perguntas, mesmo tendo uma liminar que lhe garante direito ao silêncio caso questões que possam incriminá-lo diretamente sejam feitas. O militar afirmou isto após reclamações de Omar Aziz (PSD-AM).

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

"Vou responder a todas as perguntas. Todas. Peço que não sejam feitas perguntas simplórias", disse Pazuello nesta quarta-feira (19), após reclamação do presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de que o depoente não respondia objetivamente às questões do relator, Renan Calheiros (MDB-AL).

Leia também:
- CPI da Covid: Pazuello afirma que Osmar Terra levou tese da imunidade de rebanho ao governo
- CPI da Covid: Pazuello afirma ter defendido distanciamento social, mesmo tendo atacado medidas no passado

Omar Aziz (PSD-AM), então, reagiu à posição do militar: "General, o senhor não vai definir o que os senadores vão perguntar. Algumas perguntas exigem respostas 'sim' ou 'não'. Quando a gente fala muito e não consegue explicar nada, fica difícil para quem está ouvindo".

Antes ao ser questionado sobre sua capacitação para ocupar o Ministério, Pazuello afirmou: "Isso é como perguntar se a chuva molha. Se um oficial do Exército não tem capacidade de liderança, é preciso rever nossa instituição do zero".

Pazuello foi extremamente criticado por falhas logísticas na condução da Saúde, área em que supostamente é especialista.