Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid: Nise Yamaguchi mantém defesa do tratamento precoce

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Nise Yamaguchi, médica tida como uma das integrantes do "gabinete paralelo", manteve sua posição em favor do chamado tratamento precoce no início de seu depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

Antes de ser questionada, Yamaguchi, afirmou que seu posicionamento tem embasamento científico. Os estudos científicos mais rigorosos, entretanto, não apontam qualquer eficácia destas medidas e ainda apontam possíveis efeitos colaterais negativos.

"Não tenho partido político. As medicações servem para estimular o sistema imunológico. Quanto mais cedo fazer com que a pessoa se recupere, temos a chance de menos pessoas sofrendo as consequências", afirmou.

A médica foi citada anteriormente na CPI como peça-chave, por exemplo, na tentativa de mudança da bula da cloroquina.

Renan Calheiros (MDB-AL), relator da Comissão, aproveitou a sessão para, antes de iniciar os questionamentos, afirma ser "inadmissível" a realização da Copa América no Brasil e enviou uma mensagem à seleção brasileira.

"Neymar, eu queria dirigir uma palavra a você: Não concorde. Não é esse o campeonato que precisamos disputar. Precisamos disputar o campeonato da vacinação", pediu ele.

Leia também:
- Quem é Carlos Wizard, convocado a depor na CPI da Covid?