Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid: Ernesto Araújo não agradeceu oxigênio vindo da Venezuela

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Questionado sobre o papel da Ministério das Relações Exteriores sobre a vinda de oxigênio da Venezuela para o estado de Amazonas, Ernesto Araújo afirmou que não entrou em contato ou agradeceu ao país vizinho pela remessa.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado, Omar Aziz (PSD-AM), lembrou que o oxigênio chegou por terra, e não por avião.

"Enquanto isso, havia pessoas morrendo. Bastava um telefonema", criticou o senador.

Randolfe Rodrigues (Rede-AP) questionou se Araújo contatou o governo venezuelano, ao que recebeu uma resposta enfática: "Não".
Quando perguntado se ao menos havia agradecido a remessa, Araújo apresentou a mesma resposta.

Aziz então afirmou que a remessa foi dificultada por questões meramente "ideológicas".

Eduardo Braga (MDB-AM) lembrou então que a relação foi dificultada pelo fato de que o governo Bolsonaro rompeu relações com a Venezuela, inclusive pedindo a saida do Brasil de diplomatas venezuelanos. Além disso, colocou que o oxigênio da Venezuela, mesmo vindo por terra, chegou antes do socorro vindo do Brasil.

Leia também:
- CPI da Covid: Quebra de patentes é uma “posição extrema”, diz Ernesto Araújo
- CPI da Covid: Ernesto Araújo reconhece que deu orientação contra OMS