Pular para o conteúdo principal

CPI da Covid: Advogada aponta possível esquema de espionagem

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

A advogada Bruna Morato relatou nesta terça-feira (28) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado que o escritório em que trabalha foi invadido por uma "quadrilha". Ela suspeita que se tratou de uma tentativa de intimidação e, principalmente, espionagem.

Morato é representante dos médicos que trabalharam na Prevent Senior e elaboraram um dossiê entregue à CPI com diversas denúncias sobre o tratamento da empresa aos pacientes com covid-19. O escritório foi invadido e roubado em abril deste ano.

LEIA TAMBÉM:
- Prevent Senior criou receita padrão para covid e tinha relação com Ministério da Economia, diz advogada
- Mil dias de Inferno e mais de 50% dos brasileiros com fome

Um notebook e um Ipad, que era usado para a gravar entrevistas com os clientes da advogada, foram furtados na ocasião. Durante o furto, parte do sistema de câmeras de segurança do prédio onde se localiza o escritório parou de funcionar. O sistema de identificação do edifício também falhou.

A suspeita de tentativa de espionagem nasceu por conta da alta complexidade da operação, não condizente, para a advogada, com os valores furtados.