Pular para o conteúdo principal

Corte de até 70% de salário é estudado pelo governo

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

O texto com o corte de até 70% de salário poderá ser apresentado ao Congresso Nacional como Medida Provisória ou Projeto de Lei.

O corte de até 70% de salário poderá ser apresentado ao Congresso Nacional como Medida Provisória ou Projeto de Lei pelo governo Bolsonaro.

O corte de até 70% do salário viria acompanhado de redução na jornada de trabalho, por até três meses. Por outro lado, o trabalhador seria compensado com uma porcentagem do seguro-desemprego. Porém, tal medida pode diminuir drasticamente os ganhos de quem trabalha formalmente no Brasil.

Segundo o projeto, que ainda não foi apresentado ao Congresso, o dispositivo poderá ser utilizado por micro, pequenas, médias e grandes empresas. Contudo, a forma de aplicação do mecanismo ainda não foi definida. Projeta-se que deverá haver acordo para a redução de salários e jornada, e será necessário contar com a concordância dos trabalhadores.

25%, 50% e o corte de até 70% de salário

Até agora, a proposta é que os cortes sigam essas porcentagens. Como dito anteriormente, a fatia de seguro-desemprego será equivalente. Porém, a negociação dos acordos será diferente, será feita de acordo com a faixa salarial.

Quem ganha até R$ 3.135 terá acordo individual entre empregados e patrões. Já os que ganham entre R$ 3.136 e R$ 12.202 poderão contar com o auxílio dos sindicatos nas negociações. Os que têm vencimentos acima de R$12.202 terão que negociar diretamente com os patrões, por meio dos acordos individuais.

Acordos coletivos e sindicatos

Nesse sentido, a mobilização de cada categoria será fundamental. Seja na negociação de acordos coletivos por meio dos sindicatos, seja na negociação individual, quem trabalha não deve se sentir pressionado a aceitar. Principalmente em meio a encarecimento de gêneros básicos, como alimentos e gás durante a pandemia de Covid-19.

Com informações de O Globo.