Pular para o conteúdo principal

Coronavírus: É possível prorrogar o pagamento de boletos?

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Contas como aluguel, condomínio, água, luz e vários outros boletos de serviço não param de chegar. Saiba o que você deve fazer neste momento.

O Brasil está de quarentena e sem previsão de quando o isolamento vai acabar. Mas as contas não param de chegar e logo logo já estarão vencendo. O que fazer com os boletos nesse tempo de crise?

O ideal é não fazer nenhum gasto desnecessário. Por isso, faça as contas e verifique onde é possível cortar custos e quais as negociações serão possíveis fazer. Tente negociar gastos fixos, como aluguel, condomínio, mensalidades de escolas e universidades, cursos, academias e vários outros.

Boletos de energia elétrica

O fornecimento de energia elétrica não poderá ser suspenso caso o consumidor não pague a conta de luz. Resolução publicada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já está valendo desde a última quarta-feira (25).

De acordo com a Aneel, a suspensão do corte é por 90 dias e vale para consumidores residenciais, urbanos e serviços essenciais no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

A agência também suspendeu a entrega da fatura mensal impressa no endereço dos consumidores. Desta forma, a distribuidora de energia elétrica deverá enviar faturas eletrônicas ou o código de barras, por meio de canais eletrônicos ou disponibilizá-las em seu site ou aplicativo.

Cartão de crédito e cheque especial

Medidas como o aumento do limite do cheque especial e do cartão de crédito para todos os correntistas podem acabar virando um pesadelo. Isso porque esses pagamentos não foram suspensos e nem prorrogados. Então, a data de vencimento do seu cheque especial e do cartão de crédito segue o mesmo.

O ideal é evitar limite do cheque especial e cartão de crédito, pois os juros são muito altos. Em janeiro de 2020, o juro do cheque especial ficou em 165,6% ao ano. Já o juro médio do rotativo do cartão de crédito fechou janeiro em 316,8% ao ano.

Ou seja, uma vez que se entra nessa bola de neve, fica difícil sair.

Dívidas com bancos

Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica, Itaú Unibanco e Santander estão prorrogando por, pelo menos, 60 dias os vencimentos de dívidas de clientes pessoas físicas e jurídicas.

Essa medida vale para o pagamento dos contratos de crédito como empréstimos pessoal e empresarial, consignado e financiamento imobiliário. Vale destacar que essa medida não vale para cheque especial e rotativo do cartão de crédito.

Fique atento!

Não deixe de pagar os boletos sem ter a certeza de que seu vencimento foi prorrogado. Caso não tenha recebido todo os boletos em casa, entre em contato com as empresas para solicitar uma fatura digital. Eles podem enviar o boleto por e-mail ou por WhatsApp.

Não corra o risco de ter o seu nome negativado!