Pular para o conteúdo principal

Coronavírus: Veja os pagamentos que podem ser adiados durante a pandemia

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Quem teve a redução do salário ou perdeu a fonte de renda por conta da pandemia de Covid-19 sabe o quanto está difícil pagar a conta no final do mês. Para não correr o risco de ter o nome negativado pela falta de pagamento, é possível, em algumas situações, solicitar um prazo determinado.

Nos financiamentos imobiliários, a Caixa disponibilizou, desde segunda-feira (18), a ampliação da pausa na habitação por um período de 120 dias para os clientes que já tinham solicitado a suspensão temporária de 90 dias do financiamento habitacional. Para os que solicitarem a suspensão a partir desta data, o período de pausa já será de 120 dias no total.

Na crise do coronavírus, muitos Microempreendedores Individuais (MEI) viram a renda diminuir – e até zerar. Para aliviar o bolso, foi autorizado o adiamento, por seis meses, da parte federal do Simples Nacional. Os pagamentos de abril, maio e junho passaram para outubro, novembro e dezembro. A medida vale tanto para a parte federal como para parte estadual e municipal (ICMS e ISS) do programa.

Também é possível pedir o adiamento dos parcelamentos das micro e pequenas empresas devedoras do Simples Nacional. As parcelas de maio passaram para agosto, as de junho para outubro, e as de julho para dezembro.

Embora a pandemia do coronavírus não tenha alterado o prazo para pagamento da conta de luz – as datas de vencimento seguem as mesmas e, quem não pagar em dia, estará sujeito à cobrança de multa e juros – as concessionárias estão proibidas de cortar o fornecimento de energia por 90 dias.

A decisão é da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e vale para todas as residências urbanas e rurais e para os serviços considerados essenciais, como hospitais.

Já o prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física e do pagamento da primeira cota ou cota única também foi adiado. A data passou de 30 de abril para 30 de junho.

*Com informações Agência Brasil