Pular para o conteúdo principal

Conta de luz mais cara: Aneel aprova aumento de 52% na bandeira vermelha 2

Imagem
Arquivo de Imagem
bandeiras tarifárias

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (29) os novos valores das bandeiras tarifárias - custos extras na conta de luz - a partir de 1º de julho. O valor da bandeira vermelha 2, o maior do sistema, passou de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 quilowatts-hora (kWh).

A bandeira amarela aumentou para R$ 1,874 a cada 100 kWh e a vermelha patamar 1 para R$ 3,971 a cada 100 kWh.

De acordo com a Aneel, os novos valores levam em conta os custos da geração de energia elétrica nesse momento de seca, quando usinas termelétricas precisam ser acionadas.

O diretor-geral do órgão, André Pepitone, defende o uso de bandeiras para levar transparência à população sobre os custos de geração de energia.

Leia também:
- Baixa renda: saiba quem tem direito à Tarifa Social de Energia Elétrica
- Baixa renda: Aneel suspende corte de luz dos consumidores com Tarifa Social de Energia

"É um sinal de preços que mostra ao consumidor o custo real da geração no momento em que ela ocorre. Dando, inclusive, oportunidade do consumidor de se preparar e adaptar o seu consumo, fazendo um uso mais consciente da energia”, afirmou à Agência Brasil.

A incidência dos adicionais de bandeiras tarifárias na conta de luz dos consumidores que possuem direito à Tarifa Social de Energia Elétrica segue os mesmos percentuais de descontos que são estabelecidos por faixa de consumo. 

Isso significa que as famílias de baixa renda, inscritas no programa de Tarifa Social, pagam as bandeiras com os mesmos descontos que já têm nas tarifas, de 10% a 65%, dependendo da faixa de consumo.

Uma nova consulta pública será aberta nos próximos dias para avaliação do valor da bandeira tarifária patamar 2.

Com informações da Aneel