Pular para o conteúdo principal

Combustíveis puxam prévia da inflação para 0,30% em julho

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

Foto: Helena Pontes/Agência IBGE Notícias

Quem voltou a trabalhar agora, já se deparou com preços mais altos dos combustíveis: a gasolina subiu e, com ela, também a prévia da inflação do mês de julho. É o que mostra o Índice de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), divulgado nesta sexta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apresentou alta de 0,30% em julho, após o resultado de 0,02% registrado em junho.

Segundo o IBGE, a alta na inflação nos primeiros quinze dias do mês está relacionada ao aumento no valor dos combustíveis. Isso porque a gasolina, após quatro meses de queda, aumentou 4,47% pela prévia da inflação de julho, contribuindo com o maior impacto no indicador. Já o etanol subiu 4,92%; o óleo diesel, 2,50% e o gás veicular, 0,01%.

Ainda em relação ao grupo de Transportes, houve alta também nas tarifas de metrô (2,00%), puxada principalmente pelo reajuste de 8,70% nas passagens do Rio de Janeiro, que entrou em vigor no dia 11 de junho.

Já os custos em casa (Habitação) ficaram mais altos também (0,50%) por conta do aumento das tarifas de energia elétrica (1,03%) em seis regiões metropolitanas, variando de 0,28% em Porto Alegre até 5,15% em Fortaleza. Além disso, a taxa de água e esgoto subiu 0,13%.

Perspectivas

Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados no período de 16 de junho a 14 de julho de 2020 e comparados com aqueles vigentes de 15 de maio a 15 de junho de 2020.

O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. 

O IPCA-15 é uma prévia do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a inflação oficial no País. O IPCA-15 realiza a medição de preços em um período não calculado pelo IPCA, apontando assim uma prévia de qual será a tendência do resultado do final do mês.

Quanto ao indicador que mede a inflação oficial do País, ou seja, o IPCA, o mercado financeiro projeta que chegue ao final de 2020 com alta de 1,72%.