Pular para o conteúdo principal

Cesta de Natal de 2021 sobe 11,5% em relação ao ano passado

Imagem
Arquivo de Imagem
ceia de natal

A mesa farta da noite de Natal é uma realidade cada vez mais distante para os brasileiros. Segundo dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a Cesta de Natal está 11,8% mais cara neste ano em relação ao ano passado.

Alimentos tradicionais como panetone, azeitona verde e peru tiveram aumentos acima de 20%. Porém, o campeão no aumento de preço foi o filé mignon - consumido no Natal e também em outro momentos especiais - que registou uma alta de 30,78% na comparação com 2020.

Alimentos em alta

Tanto os alimentos que compõem a Cesta de Natal quanto os considerados Ítens de Natal tiveram alta. "A cesta é baseada nos produtos que caracterizam a cesta de Natal vendida nos supermercados ou dada pelas empresas aos funcionários no final do ano. Já os itens de Natal são aqueles tradicionalmente comprados e consumidos pelas famílias na mesma data", explica Marcelo Pereira, analista técnico do IPC/Fipe.

Abaixo, as variações positivas, ou seja, alta dos alimentos em relação ao ano passado da Cesta de Natal:

Queijo ralado 100g16,12%
Palmito inteiro tipo Pupunha 300g13,88%
Azeitona verde com caroço 500g23,76%
Atum sólido 170g4,25%
Panetone frutas cristalizadas 500g21,81%
Bombom cx 251g18,51%
Macarrão espaguete cx 500g13,10%
Molho de tomate 340g tradicional7,68%
Azeite de oliva extra virgem vidro 500 ml11,32%
Peru kg23,83%
Suco néctar de laranja 1 litro0,30%
Suco néctar de pessego 1 litro5,63%
Vinho tinto 750 ml1,64%
Champagne 660 ml12,23%

Entre os Ítens de Natal, as altas foram:

Bacalhau kg21,27%
Bolo pronto kg7,70%
Sorvete kg9,10%
Farofa kg20,19%
Filé mignon kg30,78%
Picanha kg8,34%
Ave (tipo Chester) kg19,39%
Uva kg5,95%
Morango kg3,07%

Alimentos em queda

Poucos foram os alimentos que compõem a Cesta e os Ítens de Natal que tiveram queda de preços em relação ao ano passado. Na Cesta, apenas o Lombo de porco com osso (bisteca) teve registro de variação negativa de preço, com queda de 7,74% por quilo do produto. Dentre os Ítens, apenas dois registraram queda: o Pernil com osso, que diminuiu 8,24% e o pêssego natural, 6,81%.