Reconta Aí Atualiza Aí Carnaval: cancelamento vai gerar prejuízo de R$ 5,5 bilhões ao Rio de Janeiro

Carnaval: cancelamento vai gerar prejuízo de R$ 5,5 bilhões ao Rio de Janeiro

Cancelamento do Carnaval gerará prejuízos ao Rio de Janeiro

Segundo estudos do FGV IBRE, o cancelamento do Carnaval pode gerar um prejuízo de R$ 5,5 bilhões ao Rio de Janeiro.

O Carnaval é a festa mais popular do Brasil e movimenta a economia de diversas cidades. Setores como turismo, comércio, bares e restaurantes têm seu faturamento aumentado durante a folia de Momo.

Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

Por conta da pandemia de coronavírus, os festejos de Carnaval foram cancelados em todo o País, incluindo no Rio Janeiro.

Um estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) mostra que esse cancelamento tem um preço alto. Cálculos realizados por Claudio Considera e Juliana Trece – economistas do instituto – dão conta de que a perda pode chegar a  1,4% do PIB da cidade.

“O Rio de Janeiro é uma cidade com forte vocação para o turismo e os eventos são de grande relevância para esse setor, para o setor de serviços e para a economia como um todo”, disse Claudio Considera. O pesquisador ainda completa: “É importante ressaltar que para a festa acontecer no início do ano há milhares de profissionais trabalhando o ano inteiro, que se viram sem qualquer renda em 2020 quando tudo parou. Ou seja, o evento faz a economia rodar, gerando emprego e renda”.

O Carnaval carioca em números

Brasileiros e estrangeiros vão ao Rio de Janeiro festejar o Carnaval e seus gastos financeiros são fundamentais movimentar a economia informal.

A pesquisa do instituto FGV IBRE mostra que os gastos dos turistas brasileiros na Cidade Maravilhosa giram em torno de R$ 4,4 bilhões – com uma permanência média de 6,6 dias, e gastando em média R$ 280,32 por dia. Já os estrangeiros, que representam 12,2% dos foliões, geralmente ficam 7,7 dias e gastam em média cerca de R$ 334,01 por dia. Já o impacto dos cariocas, moradores da Região Metropolitana do Rio, seria de pouco mais de R$ 1 bilhão.

Crise em todo país

Emilio Chernavsky, doutor em economia, explica que a crise é ainda “mais profunda” e que o Carnaval é um exemplo do impacto negativo sobre a economia provocado pela “negligência e incompetência com que o governo Bolsonaro tem tratado a pandemia de Covid-19”.

Chernavsky acredita que a falta de controle da pandemia causou essa situação. “Atingindo números recordes de mortos e contaminados, ela obrigou governos em todo o País a cancelarem os eventos programados para evitar que seu descontrole traga danos ainda maiores para a população”, afirma.

O economista explica ainda que sem os eventos, trabalhadores deixaram de ser contratados e insumos deixaram de ser comprados, desempregando os trabalhadores que os produziriam.

“Trabalhadores desempregados consomem menos e as empresas produzem menos. Se a pandemia não for contida, não haverá volta ao normal; as atividades que dependem de aglomeração e deslocamento como os eventos de Carnaval, aqueles associados a datas festivas, eventos esportivos e recreação e turismo em geral seguirão comprometidas, contribuindo para que a economia continue estagnada”, conclui o economista.

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial