Reconta Aí Atualiza Aí Caixa Caixa recorre à Justiça e impede parte da paralisação dos empregados

Caixa recorre à Justiça e impede parte da paralisação dos empregados

seguro-desemprego

Tribunal Superior do Trabalho determinou que os trabalhadores da Caixa mantenham 60% dos bancários em atividade

Conforme comunicado da Contraf-CUT feito na madrugada desta terça-feira (27), a Caixa Econômica Federal optou por judicializar a paralisação dos empregados. O conflito entre a empresa e seus funcionários foi levado ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), que concedeu uma liminar à Caixa determinando que 60% dos bancários sejam mantidos em serviço durante a paralisação marcada para hoje.

Faça parte do nosso canal Telegram.
Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin

De acordo com Maria Rita Serrano, representante eleita dos empregados no Conselho de Administração da Caixa, a posição da Caixa em judicializar o conflito é absurda. “É uma intervenção desmedida naquilo que é um direito dos trabalhadores, garantido na Constituição”, afirma Serrano a respeito da judicialização da mobilização.

No mesmo sentido, a representante afirma que o ideal seria que a Caixa chamasse os trabalhadores para a negociação de suas reivindicações. Sobre isso, Serrano afirma: “Recorrer à Justiça mostra a fragilidade e descaso do Banco no diálogo com os trabahadores e é uma decisão profundamente autoritária”.

Repercussão da liminar para a paralisação

A Contraf-CUT, que representa os empregados da Caixa, acatou a decisão judicial. Porém, cobra que a direção do Banco faça o mesmo, garantindo que 40% dos trabalhadores mantenham o direito de paralisar suas atividades.

A entidade relembra ainda que no ano passado, “os empregados atenderam mais da metade da população brasileira, demonstrando ser a Caixa imprescindível como Banco Público e primordial em sua ação social”.

Pautas dos empregados

Os empregados da Caixa Econômica Federal organizaram a paralisação pela manutenção da Caixa íntegra e pública; aumento do pagamento da PRL social; melhores condições de trabalho e de atendimento à população por meio de mais contratações; proteção contra a Covid-19 e vacinação prioritária para os bancários.

Com informações da Contraf-CUT.

Leia mais sobre a luta dos bancários no Reconta Aí.

.

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial