Pular para o conteúdo principal

Bolsa Família: Confira o calendário de pagamentos em 2021

Imagem
Arquivo de Imagem
Imagem do site Recontaai.com.br

A Caixa Econômica Federal disponibilizou o calendário de pagamentos do Bolsa Família para 2021. Em janeiro, o pagamento será feito entre os dias 18 e 29.

Programa com 14 milhões de famílias inscritas, o Bolsa Família é um benefício pago mensalmente e segue um calendário nacional.

O dia do pagamento é definido a partir do último número do NIS. Somente a partir desse dia o beneficiário poderá sacar o seu benefício, antes disso ele não estará disponível.

Confira na tabela abaixo o calendário de pagamento para todos os meses do ano:

Poupança Social Digital

Em dezembro, a Caixa começou a migração dos beneficiários que ainda sacam o Bolsa Família exclusivamente com o Cartão Cidadão para a conta poupança social digital. Usada no pagamento do auxílio emergencial, a conta poupança permite o pagamento de boletos e de contas domésticas (como água, luz e gás).

Leia também:
Auxílio Emergencial: prazo para beneficiário do Bolsa Família sacar recursos é ampliado

A conta poupança digital também permite a realização de compras com cartão de débito virtual pela internet e com código QR (versão avançada do código de barras) em lojas físicas com maquininhas de estabelecimentos parceiros. A poupança digital permite até três transferências gratuitas por mês para qualquer conta bancária.

Segundo o cronograma divulgado no fim do ano passado, os beneficiários com NIS de finais 9 e 0 começaram a receber o Bolsa Família pela conta poupança social digital em dezembro. Em janeiro, o pagamento pela plataforma passará a ser feito para os inscritos com NIS de finais 6, 7 e 8.

Em fevereiro, a Caixa abrirá contas poupança digitais para os beneficiários de NIS com finais 3, 4 e 5. Em março, será a vez dos inscritos com NIS de finais 1 e 2 e os Grupos Populacionais Tradicionais Específicos (GPTE), categoria que inclui indígenas, quilombolas, ribeirinhos, extrativistas, pescadores artesanais, comunidades tradicionais, agricultores familiares, assentados, acampados e pessoas em situação de rua.

Com informações da Agência Brasil