Pular para o conteúdo principal

Boletim Focus: Mercado piora expectativa de crescimento do PIB brasileiro

Imagem
Arquivo de Imagem
Boletim Focus

O Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (20) pelo Banco Central, estima que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deve fechar 2021 em 4,58%. É a 10ª semana seguida que o mercado financeiro diminui a previsão de crescimento do Brasil.

Para 2022, a previsão segue a mesma da última semana: 0,5% de crescimento no ano. Já para 2023, o mercado financeiro segue pessimista, derrubando a previsão de crescimento do PIB pela terceira vez consecutiva, chegando a 1,85%.

A inflação também é uma preocupação. Os agentes do mercado financeiro consultados pelo Banco Central estimam que a inflação ao final de 2021 será de 10,04%. Caso a projeção se confirme, a inflação de 2021 irá estourar o teto da meta inflacionária.

O centro da meta de inflação é de 3,75%. O teto e o piso são 5,25% e 2,25%, respectivamente. Os marcos da meta inflacionária são definidos pelo próprio Governo Federal, tendo como objetivo garantir alguma previsibilidade para os agentes econômicos no País.

Para 2022, o Focus também marcou uma alta na projeção da inflação de 5,02% para 5,03%.

LEIA TAMBÉM:
- Banco Central corta pela metade previsão do PIB de 2022
- Cesta de Natal de 2021 sobe 11,5% em relação ao ano passado

O câmbio também segue em alta. O mercado prevê que o dólar deve fechar 2021 valendo R$ 5,60; 2022 valendo R$ 5,57; 2023 valendo R$ 5,40, e 2024 por R$ 5,30.

Em 2022, a taxa básica de juros - a Selic - deve chegar a 11,50%. Em 2023 e 2024 a expectativa é que ela seja menor, fechando os anos em 8% e 7%, respectivamente.

Mais de 100 instituições do mercado financeiro são consultadas pelo Banco Central para a formulação do Boletim Focus.