Reconta Aí – Atualiza Aí Qual o custo de ser o maior exportador de carne bovina do mundo?

Qual o custo de ser o maior exportador de carne bovina do mundo?

De acordo com a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), feita pelo IBGE e divulgada hoje, o Brasil é o maior exportador de carne bovina do mundo.

Atualmente o Brasil possui 214,7 milhões de cabeças de gado em seu território. Juntas, elas garantem ao País a dianteira na pecuária internacional, especificamente o segundo maior rebanho bovino de todo o mundo. Para efeito de comparação, segundo o IBGE, o número de habitantes no Brasil hoje é de aproximadamente 211.755.692 pessoas. Ou seja, mais de uma vaca por habitante.

Mas nada está mais longe da realidade: além de ter o segundo maior rebanho bovino, o Brasil é o segundo país com maior desigualdade de renda do mundo.

O impacto ambiental da carne bovina

Segundo o artigo de Josir Laine Veschi, Ludmila Santana Barros e Edson Mandargan Ramos, compartilhado pela Embrapa, os impactos ambientais são diversos. E os efeitos da expansão pecuária sobre o meio ambiente são cada vez mais pronunciados.

“Desmatamentos indiscriminados de áreas verdes”, “quebra no equilíbrio ecológico e ambiental”, “surgimento de pragas” e “uso inadequado do solo e da água” são apontados como os principais danos.

Contudo, ainda há mais a ser colocado na conta. De acordo com pesquisa do Instituto Escolhas, cada quilo de carne brasileira gera 78 quilos de dióxido de carbono, gás ligado à mudança climática. No mesmo sentido, cada quilo de carne brasileira carrega, em si, 64 litros de água. Ou seja, cada quilo de cane bovina exportada leva para o exterior a água do Brasil, deixando no País efeitos nocivos para os biomas e para a população.

Os impactos econômicos

De 2008 à 2017, calcula-se que o Brasil deixou de ganhar R$ 7,9 bilhões anualmente em renúncias fiscais para produtores da pecuária. A falta de arrecadação impactou não só nos confres do Governo Federal, mas também em estados e municípios. Ao isentar a indústria pecuária de pagar PIS, Cofins, ICMS, IR, Funrural e ITR, os governos deixaram de ter caixa para para investir na população.

Além disso, a concentração fundiária, que é a base dos grandes rebanhos, gera ainda mais desigualdade. De acordo com o Censo Agropecuário de 2018, as propriedades com mais de 1.000 hectares controlam 47,5% das terras do País.

Como isso afeta cada brasileiro

A criação extensiva de gado aumenta a pressão pelo valor das terras, a chamada especulação imobiliária. Isso impede que essas terras, que não estão sendo cultivadas, sejam destinadas a um fim mais justo e necessário ao País: a reforma agrária.

Quanto mais áreas de pasto, menos áreas para a agricultura familiar que planta alimentos. Ou seja, o bife de cada dia de consumidores da carne brasileira, em todo o mundo, também é responsável pela fome e injustiça social no Brasil.

Leia Mais
Ovos substituem carnes no prato do brasileiro