Reconta Aí – Atualiza Aí Projeção da OCDE sobre PIB brasileiro tem leve melhora

Projeção da OCDE sobre PIB brasileiro tem leve melhora

Relatório de hoje (16) da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento, OCDE, traz previsão de retração menor do PIB brasileiro.

Gráfico da OCDE traz projeções de retração econômica dos países, incluindo o PIB brasileiro.

De acordo com o relatório da OCDE publicado no dia de hoje, a economia mundial passará por uma retração menor do que o incialmente previsto por conta da pandemia. A organização com sede em Paris, projeta que as economias conseguirão se reerguer com mais velocidade das perdas econômicas ocasionadas pelo isolamento social.

O valor da retração em nível mundial ainda assusta, 4,5% nesse relatório contra os 6% projetados em junho. Contudo, traz a esperança de que menos pessoas serão afetadas. Afinal, a queda da economia dos países tem reflexo mais forte em sua população, principalmente em nações com grande desigualdade social como o Brasil.

A queda do PIB brasileiro

A OCDE também revisou para baixo a projeção da queda do PIB brasileiro. Dos 7,4% de queda do PIB previstos em junho, para 6,5% no relatório de hoje.

Para tanto a OCDE levou em consideração a eficiência das medidas contra a crise, principalmente o Auxílio Emergencial. No mesmo sentido, a OCDE também leva em conta o descontrole sanitário da pandemia no país, sem políticas de saúde que mitiguem a pandemia com eficiência. Mas também, as incertezas quanto às políticas macroeconômicas que serão implementadas.

Essas incertezas incidem em primeiro lugar na possibilidade de descontinuidade de políticas que incidam diretamente na subsistência da população. Mais uma vez o Auxílio Emergencial, mas também o Pronampe e outras linhas de créditos para os pequenos, sejam empresários, sejam produtores. Além deles, a OCDE conta com programas de criação e manutenção de emprego, bastante necessários ao país, que atualmente tem menos da metade da população em idade de trabalhar oupada, segundo os dados da Pnad-C.

Caos na política econômica brasileira

Eleito sob a égide do ultraliberalismo econômico de Paulo Guedes, Bolsonaro já não adota todos os princípios de seu ministro. O presidente já vem fazendo cálculos eleitorais, mesmo sob os cadáveres de mais de 130 mil brasileiros.

Assim, entre “cartões vermelhos” e “carta branca” a Guedes, o rumo da política econômica não esta definido. Programas de transferência de renda, como Renda Brasil, de habitação popular, como Casa Verde e Amarela entre outros, são aunciados e cancelados com a mesma facilidade, impossibilitando análises econômicas até de médio prazo.

Contudo, mesmo assim, as projeções do mercado brasileiro são ainda mais otimistas do que as da OCDE. A pesquisa Focus, feita com analistas do mercado financeiro brasileiro, projeta queda de 5,46% do PIB do Brasil em 2020.