Reconta Aí Atualiza Aí PL prevê descentralização no pagamento do auxílio emergencial

PL prevê descentralização no pagamento do auxílio emergencial

descentralização

Um Projeto de Lei (PL) apresentado na Câmara dos Deputados propõe que o pagamento do auxílio emergencial deixe de ser centralizado na Caixa Econômica Federal, em consonância com críticas feitas à exclusividade, vista como fator que gera filas e aglomerações nas agências do banco.

O PL 3047 de 2020, de autoria da deputada Rejane Dias (PT-PI), estabelece que o Executivo formará parcerias com outros bancos, viabilizando o saque por parte dos beneficiários em uma rede mais ampla.

“Muitos beneficiários que não têm conta bancária precisam se dirigir às agências da Caixa Econômica Federal para realizarem o saque sem cartão, informando o código fornecido pelo aplicativo criado pelo referido banco”, afirma Dias na justificativa da proposta.

“Essa situação [atual] tem gerado enormes filas e exposto os cidadãos ao intenso risco de contágio, o que pode agravar ainda mais a emergência de saúde pública pela qual passamos”, complementa a parlamentar.

Descentralização

A descentralização se tornou um dos pontos de reivindicação logo no início da operacionalização do pagamento do auxílio. Um dos exemplos foi a da representante dos empregados no Conselho de Administração da Caixa, Rita Serrano, que destacou em abril sua preocupação com os funcionários do Banco.

Não poderia ser só a Caixa a executar todas essas operações, embora ela tenha capacidade, dada a demanda e ao perigo de proliferação do vírus para os clientes, usuários e empregados”, disse Rita.

Previsto originalmente para ser pago em três parcelas, o governo estuda a ampliação para mais dois meses, com redução do valor. O Congresso, por outro lado, sinaliza a possibilidade de se posicionar a favor da extensão com a manutenção do valor mínimo de R$ 600.