Reconta Aí – Atualiza Aí O PIX vai aposentar sua carteira?

O PIX vai aposentar sua carteira?

Está para ser lançado no mercado o PIX, uma forma de pagamento que pode mudar para sempre o modo de como fazemos pagamentos.

O PIX é um sistema instantâneo de transferência de dinheiro de uma pessoa para a outra por meios digitais. Ele foi criado pelo Banco Central (BC), depois de anos de extensa pesquisa, cujo início deu-se 2013. Foi naquele ano que a circular de número 3.629, do BC, trouxe a notícia da aprovação do regulamento de comunicação eletrônica de dados no âmbito do Sistema Financeiro Nacional.

“A partir de 16 de novembro as pessoas poderão efetuar pagamentos online através do celular de maneira segura e rápida”, aponta o presidente do Conselho Regional de Economia do DF, Cesar Bergo. Ele explica que o PIX poderá substituir o papel moeda e o cheque e que o sistema não é novo. “Ele já é utilizado em muitos países com muito sucesso”.

Como funcionará o PIX?

O funcionamento do PIX dependerá de cadastro na instituição bancária. Para tanto, o cidadão ou cidadã deverá fornecer o número do seu CPF, o número de telefone e um e-mail. Dessa forma, será gerada uma chave que dará acesso ao sistema em que poderão ser efetuados e recebidos os pagamentos.

Outras tecnologias também serão integradas ao sistema para garantir sua segurança. Segundo Bergo, o QR Code estará presente e o Banco Central tem tratado o projeto de maneira zelosa. Contudo, alerta: “Como todo sistema de pagamentos, o PIX não está isento de fraudes”. Entretanto, a segurança deverá ser reforçada principalmente em nível pessoal.

Smartphones e chaves de acesso deverão ser preservados o máximo possível para que não haja roubos.

Haverá QR Code no PIX.

“Funciona 24h por dias e 7 dias por semana, inclusive aos finais de semana”, explica o presidente do Conselho Regional de Economia do DF. Isso possibilitará que pessoas recebam imediatamente os recursos das operações realizadas, e de maneira mais segura. No mesmo sentido, Bergo conclui que o PIX “tem tudo pra dar certo”.

Leia também:
=> Pegadinha do PIX? Transações poderão ser tributadas se a nova CPMF for aprovada, aponta economista