Reconta Aí Atualiza Aí Número de famílias endividadas alcança novo recorde, e inadimplência avança em junho

Número de famílias endividadas alcança novo recorde, e inadimplência avança em junho

pequenas empresas

A pandemia do Covid-19 fez um grande percentual de brasileiros contrair dívidas ou até mesmo atrasar o pagamento de boletos. Segundo uma pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), o percentual de famílias endividadas atingiu a marca de 67,1% em junho.

Pode parecer pouco, mas o aumento de 0,6 ponto percentual em relação aos 66,5% observados em maio levou a proporção de endividados em junho ser a maior da série histórica do indicador, iniciada em janeiro de 2010. Em junho do ano passado, essa proporção era 64,0%.

A Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic Nacional) é realizada todo mês pela CNC em todas as capitais brasileiras e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores.

Ela permite, por exemplo, traçar o percentual de consumidores que declaram ter dívidas na família nas modalidades como cheque pré-datado, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimo pessoal, prestações de carro e seguros.

No levantamento do mês de junho, outro dado que chamou a atenção foi o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso: chegou a 25,4%, o maior desde dezembro de 2017, avançando 0,3 ponto percentual, na comparação com maio; e 1,8 ponto percentual em relação a junho de 2019.

Já a proporção das famílias que se declararam muito endividadas aumentou de 16,0% em maio para 16,1% do total de famílias em junho deste ano. Esse foi o maior percentual desde setembro de 2011, quando alcançou 16,3%.