Reconta Aí Atualiza Aí Enquete da Câmara mede o apoio à paralisação das privatizações

Enquete da Câmara mede o apoio à paralisação das privatizações

Apresentado pelo deputado federal Enio Verri (PT/PR), o Projeto de Lei 2715/20 busca a paralisação das privatizações um ano após o fim da calamidade pública.

Foto: Pedro França/Agência Senado

Com a chegada da pandemia, muitos brasileiros se deram conta da importância do Estado e das empresas públicas para o Brasil. Seja com o combate sanitário realizado pelo Sistema Único de Saúde, ou com o pagamento do auxílio emergencial realizado na Caixa, o fato é que sem essa estrutura a população estaria em uma situação ainda pior nesse momento crítico em todo o mundo.

Nesse sentido, o deputado Enio Verri (PT/PR) junto às deputadas Perpétua Almeida (PCdoB/AC), Fernanda Melchionna (PSOL/RS) e Joenia Wapichana (REDE/RR) apresentaram o PL 2715/20, cujo objetivo é paralisar as privatizações por pelo menos um ano até o fim do decreto de calamidade pública.

Tal medida visa contrapor às intenções do ministro da Economia, Paulo Guedes, que desde o início de seu trabalho à frente da Pasta visa a privatização de importantes estatais do Brasil.

Servidores pedem apoio à paralisação das privatizações

Organizações da sociedade civil, sindicatos que representam servidores e outras associações de trabalhadores estão em campanha pelo voto “concordo totalmente” na enquete online da Câmara dos Deputados.

Dentre elas, destaca-se a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae). Segundo seu presidente, Sérgio Takemoto, a aprovação do projeto é importante não só para os trabalhadores, mas para toda a população. “Neste momento, o que seria se não fosse o SUS durante a pandemia e a Caixa para pagar o auxílio emergencial? Sobretudo nesta crise, as empresas públicas se mostraram imprescindíveis para atender quem mais precisa”.

Além da Caixa e do SUS, outros órgãos que aparecem menos também tiveram importância fundamental para as ações de combate à pandemia. Por exemplo, a Dataprev: cotada para ser privatizada em 2019, a empresa pública de tecnologia foi responsável pelo processamento dos dados de todos que solicitaram o auxílio emergencial.

Para votar, basta se cadastrar no site da Câmara dos Deputados clicando aqui.

Com informações da Fenae