Reconta Aí Atualiza Aí Caixa Empregados da Caixa se reúnem com direção do Banco

Empregados da Caixa se reúnem com direção do Banco

Reunião durou mais de 11 horas e foi encerrada pela direção da Caixa, por não concordar em negociar com os empregados

empregados
Imagem: Fenae

A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE) se reuniu com a direção do Banco Público, nesta quarta-feira (12), para falar sobre o processo de reestruturação. A reunião durou mais de 11 horas e foi encerrada pela direção da Caixa, por não concordar em negociar com os empregados.

Durante a conversa, a direção do Banco apresentou informações superficiais sobre o plano de reestruturação, como os números de funções criadas e as lotações. A direção justificou que a reestruturação cria mais estruturas de atendimento, que são necessárias para garantir a sobrevivência da empresa.

A CEE questionou o Banco quanto aos estudos de impacto do plano de reestruturação. Além de não responder às perguntas dos empregados, a Caixa não aceitou parar a reestruturação.

O presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Jair Pedro Ferreira, desaprovou a atitude do Banco em não discutir com as entidades. “É clara a intenção da Caixa em esvaziar o Banco. Nós, trabalhadores, não concordamos com o que está acontecendo”, explicou.

Sobre a reestruturação

O presidente Jair Bolsonaro vem negando uma possível privatização da Caixa. Mas a realidade é que o governo está fatiando o Banco Público e privatizando algumas operações.

Junto a esse desmonte da instituição, a direção do Banco está promovendo uma reestruturação que irá prejudicar os empregados. A proposta da Caixa é revalidar a função dos empregados, colocando sob ameaça os trabalhadores, tanto de descomissionamento sumário quanto de transferência arbitrária.

O vice-presidente da Fenae, Sérgio Takemoto, explicou que essa reestruturação vai acabar forçando muitos empregados a mudar de cidade. “Na prática, o que está sendo feito é uma mudança significativa no conjunto das agências. Esse modelo está levando a Caixa a sair do seu papel de Banco Público, a sair do seu papel de Banco que atende a população, e estão levando para uma visão de banco comercial”, afirmou.

Liminar suspende reestruturação

A Justiça determinou a imediata suspensão do processo de implementação do novo plano da Caixa. A liminar saiu na última terça-feira (11) após a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) entrar com ação contra a reestruturação do Banco.

Por pressão da CEE, o portal UmasóCaixa também foi retirado do ar pelo Banco. A plataforma era responsável por receber as manifestações de interesse dos empregados que optaram pela mudança de função e lotação do plano de reestruturação. Dessa forma, era usado pela Caixa para validar a função dos empregados.

O coordenador do CEE/Caixa, Dionísio Reis, contou que recebeu muitas denúncias de problemas no sistema. “O mínimo que a Caixa deveria fazer era suspender o processo para melhorar o sistema”.

Ele acrescenta que o número de perguntas superou 4 mil em poucos dias de consulta. “Isso quer dizer que os empregados não tinham entendimento sobre o processo. Então, a suspensão é necessária para que as pessoas tenham mais segurança ao tomarem a decisão”, completou.

Com informações da Fenae.