Reconta Aí – Atualiza Aí Reconta TV Economista projeta taxa de desemprego de 30% com corte no auxílio emergencial

Economista projeta taxa de desemprego de 30% com corte no auxílio emergencial

desocupação

Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e doutorando na Universidade de Brasília (UnB), André Calixtre prevê que um dos principais efeitos do corte promovido pelo Governo Federal no auxílio emergencial será uma explosão da taxa de desemprego. Utilizando dados do IBGE, o economista estabelece uma taxa de desocupação potencial de 30,1% no país.

A análise de Calixtre parte do pressuposto de que o auxílio emergencial com patamar mínimo de R$ 600 – o que resultava em famílias recebendo R$1200 ou até mesmo R$ 1.800 – não só significou uma medida para minorar os efeitos da crise ao garantir o consumo, mas criou um contexto em que boa parte dos trabalhadores e trabalhadoras, principalmente informais, conseguiu ficar em casa sem procurar atividades laborais.

“Hoje sabemos com certeza que a contradição entre defesa da vida e proteção da economia não tinha fundamento”, afirmou ao Reconta Aí.

Fonte: IBGE/Dados trabalhados por Calixtre

Com o corte para R$ 300, combinado com regras que diminuem o acesso ao auxílio, o efeito mais provável é que a maior parte de quem consegui ficar em casa, ou diminuir a quantidade de trabalho externo, voltará a procurar emprego. Com essa alteração na renda, a taxa de desocupação – verificada em maio em cerca de 10% – pode ultrapassar os 30% até o final do ano.

Há um agravante: o mercado de trabalho não voltará a ser, pelo menos em breve, o que era. Sem atividade econômica sendo retomada de forma vigorosa, com um novo comportamento de consumo e com empresas quebrando, uma grande parte do contingente potencial de trabalhadores voltando a procurar ocupações verá suas tentativas frustradas.

Confira a entrevista completa em vídeo.