Reconta Aí Atualiza Aí Caixa CAIXA completa 159 anos neste domingo (12)

CAIXA completa 159 anos neste domingo (12)

A CAIXA é uma empresa 100% pública e está presente em 97,2% das cidades brasileiras

Caixa
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Desde que foi criada, em 1861, a Caixa vem sendo fundamental tanto para o desenvolvimento urbano quanto para a justiça social do País. Como uma empresa 100% pública, o banco está presente em 97,2% das cidades brasileiras e é a única instituição com agências-barco que levam acesso, desenvolvimento e cidadania para as populações ribeirinhas.

O presidenta da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Jair Pedro Ferreira, destaca que a Caixa é uma empresa do povo brasileiro. “Hoje ela permite o financiamento imobiliário com valores baixos e a longo prazo; distribuição do Bolsa Família nos locais mais distantes desse País; além do financiamento do Fies para que os jovens possam estudar”, disse.

Programas sociais

A Caixa é o banco que realiza a operação e pagamento dos principais programas de transferência de renda e benefícios sociais do País. É o agente responsável pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), pelo Programa de Integração Social (PIS) e pelo Seguro-Desemprego. Além disso, o banco conduz políticas que mudaram os rumos do Brasil, como Bolsa Família, Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) e o Minha Casa Minha Vida.

Para a Jaqueline, do Movimento Popular por Moradia do Distrito Federal e Região (Amora), a Caixa é uma entidade que olha para o povo. “Sou grata à Caixa porque graças a ela eu tive a oportunidade de ter minha dignidade de volta. Hoje eu tenho moradia, portas abertas, um grupo que eu luto graças às oportunidades que ela nos dá”, diz.

A Caixa também apoia inúmeras atividades artísticas-culturais, educacionais e desportivas. Ações que geram emprego e renda não só na sua atividade-fim, mas fomentam um novo ecossistema produtivo.

Privatização

A pauta das privatizações está em alta nesse governo. O esquartejamento das empresas públicas brasileiras segue, e a Caixa é uma das vítimas. Com a possibilidade de cinco das suas áreas estratégicas de maior rentabilidade serem privatizadas, pode vir a perder sua relevância na economia brasileira.

Mas por que privatizar um banco que dá lucro? Só no terceiro trimestre de 2019 a instituição apresentou lucro líquido contábil de R$ 8 bilhões, valor 66,7% maior do que no ano anterior. Em relação ao segundo trimestre de 2019, o lucro líquido teve alta de 90,6%, quando foi registrado lucro de R$ 4,212 bilhões.

O presidente da Fenae lembra que o maior prejudicado com a privatização é o povo brasileiro. “Nós precisamos nos juntar e defender essa grande empresa construída pela população. Uma empresa que nasceu para atender as questões sociais e a população de uma modo geral”, ressalta.

História da Caixa

O banco foi fundado em 12 de janeiro de 1861, com a assinatura do Decreto nº 2.723 por Dom Pedro II. Em 1969, o banco se tornou uma empresa pública e recebeu várias obrigações e deveres, com foco em serviços de natureza social, promoção da cidadania e do desenvolvimento do país.

Desde sua criação, o banco não parou de crescer, desenvolver, diversificar e ampliar suas áreas de atuação. Hoje tem uma posição consolidada no mercado como um banco de grande porte, sólido e moderno. Uma instituição que pertence ao brasileiro.

Ato em defesa da Caixa

Empregados da Caixa se unem a entidades defensoras para um Dia de Luta, nesta segunda-feira (13), em todo o Brasil. A manifestação marca o 159º aniversário do banco e é contra as medidas de fatiamento, venda das partes lucrativas do banco e da retirada de direitos dos trabalhadores.