Reconta Aí – Atualiza Aí Bolsonaro deve reduzir auxílio emergencial para R$ 250

Bolsonaro deve reduzir auxílio emergencial para R$ 250

Foto: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro chegou a um consenso dentro do governo quanto ao futuro do auxílio emergencial. Enquanto a equipe econômica defendia R$ 200 – valor também defendido pelo Executivo no início da pandemia – assessores políticos desejavam R$ 300. A conciliação foi feita por média: o auxílio deve ficar em R$ 250.

As informações foram divulgadas pela imprensa, através de parlamentares que ouviram a proposta presidencial. O Planalto teria adiantado a congressistas a proposta de valor para testar sua receptividade.

Leia também:
=> Governo estuda auxílio emergencial reduzido
=> Teto de gastos é reafirmado por Bolsonaro

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, já sinalizou ser contra a manutenção dos atuais R$ 600. A oposição, entretanto, defende que o valor seja mantido ao menos até o final de dezembro de 2020.

A decisão de Bolsonaro ainda não é definitiva, mas deve ser divulgada até amanhã (21).

A tática política do governo é uma tentativa de ganhar tempo para apresentar uma proposta de política social. Inicialmente, se previa que a referida reformulação dos programas sociais, batizada Renda Brasil, seria apresentada em setembro.

A ideia, agora, é que com mais parcelas com valor reduzido do auxílio, o governo ganhe fôlego para negociar propostas polêmicas envolvidas na criação do Renda Brasil, como o fim do abono salarial, direito constitucional e que, portanto, exigiria Proposta de Emenda Constitucional, cujo rito de aprovação é mais rigoroso do que de projetos de lei.