Reconta Aí Atualiza Aí Boletim Focus: Cadê a luz no fim do túnel para a economia brasileira em 2020?

Boletim Focus: Cadê a luz no fim do túnel para a economia brasileira em 2020?

2020

Economistas seguem pessimistas com o ano de 2020. Para eles, o PIB brasileiro deve fechar o ano em -5,89% e a cotação do dólar deve ficar em R$ 5,40.

Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.

A previsão de crescimento da economia brasileira para 2020 segue despencando, segundo economistas. O Relatório Focus, divulgado nesta segunda-feira (25) pelo Banco Central (BC), mostra que a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 está negativa, caindo de -5,12% para -5,89%.

Tanto o avanço da pandemia do novo coronavírus no Brasil, quanto a ineficácia do governo em lidar com a situação, tem levado a um cenário cada vez mais negativo para a economia do País.

Prova disso são os dados do Relatório Focus das últimas 15 semanas, onde economistas vêm derrubando sistematicamente a projeção do PIB para 2020. O levantamento foi feito com mais de 100 instituições financeiras.

Entretanto, os economistas estão mais otimistas com o próximo ano. De acordo com eles, a projeção do PIB em 2021 passou de 3,20% para 3,50%. Já para 2022 e 2023, as estimativas continuam em 2,50%.

Leia também:
– Mães adolescentes podem solicitar os R$ 600 a partir de 1º de junho
– Auxílio emergencial: Como gerar o cartão de débito virtual para compras em supermercados

Dólar

O boletim destaca ainda um aumento na taxa de câmbio. De acordo com os economistas, a cotação do dólar deve ficar em R$ 5,40 para o fim deste ano. A taxa de câmbio deve fechar 2021 em R$ 5,03; 2022 em R$ 4,80, e 2023 em R$ 4,90.

Na manhã desta segunda-feira (25), o mercado abriu suas operações com o dólar comercial valendo R$ 5,50.

Selic

A taxa básica de juros, mais conhecida como Selic, é usada pelo governo para alcançar a meta de inflação. Com essa taxa mais baixa, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Na edição desta semana, os economistas do mercado financeiro mantiveram a previsão para a taxa Selic no fim de 2020 em 2,25% ao ano. Entretanto, para 2021 a previsão teve queda, passando de 3,50% para 3,29%. Mas para 2022, a estimativa diminuiu para 5,13%, e 2023 para 6%.

Inflação

De acordo com o relatório, a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2020 caiu de 1,59% para 1,57%. Para 2021, a estimativa de inflação caiu para 3,14%, enquanto para 2022 e 2023 fica em 3,50%.

A previsão fica abaixo do centro da meta de inflação, de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.