Reconta Aí Atualiza Aí Banco do Brasil TCU suspende propaganda do BB em sites acusados de fake news

TCU suspende propaganda do BB em sites acusados de fake news

Divulgação | Banco do Brasil
Divulgação | Banco do Brasil

A polêmica da publicidade digital do Banco do Brasil ganhou um novo capítulo: um ministro do Tribunal de Conta de União (TCU).

Após o perfil de Twitter “Sleeping Giants” apontar que propagandas da instituição apareciam em um site acusado de divulgar informações falsas através de uma plataforma automática do Google, o BB suspendeu as propagandas na página.

Em seguida, o vereador carioca Carlos Bolsonaro pediu providências ao Governo Federal, tendo recebido uma sinalização pública do secretário de Comunicação, de que a questão seria analisada. O Banco do Brasil, então, recuou do veto ao Jornal da Cidade Online.

O ministro do TCU Bruno Dantas, entretanto, determinou nesta quarta-feira (27) uma nova suspensão, estendida a portais, blogs, sites e redes sociais acusados de divulgar fake news. Ficaram salvaguardadas páginas vinculadas a emissoras de radiodifusão e a veículos impressos que existam há mais de dez anos.

A decisão é válida até que a Controladoria-Geral da União (CGU), em um prazo de 90 dias, produza um manual de boas práticas – a ser seguido por toda a administração federal, incluindo estatais – que deve conter uma lista de sites nas quais a publicidade pública é permitida.

A CGU deverá elaborar o regulamento em conjunto com outros entes públicos, além de entidades como a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), a Associação Brasileira de Jornalistas Investigativos (ABRAJI) e a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (ABERT).