Reconta Aí Atualiza Aí Banco do Brasil É preciso “vender logo a p*** do BB”? Os funcionários dizem que não

É preciso “vender logo a p*** do BB”? Os funcionários dizem que não

O polêmico vídeo da reunião interministerial do governo Bolsonaro revelou não só interferência na Polícia Federal e ofensas ao STF, mas também a disposição em privatizar o BB.

Foto: Adriano Machado / Reuters

Na reunião interministerial de 22 de abril, revelada pelo inquérito que investiga acusações de Moro contra Bolsonaro, o ministro da Economia Paulo Guedes também falou demais. Ou não. O fato é que Paulo Guedes disse que é preciso vender o Banco do Brasil, usando uma palavra de baixo calão para desqualificar a instituição.

O BB é um dos cinco maiores bancos do País. Além disso, cumpre importante papel social, sobretudo junto à agricultura e ao agronegócio. Neste momento de pandemia, está se somando à Caixa no pagamento do auxílio emergencial. Portanto, sua importância para o país é inegável.

Porém, a fala de Guedes não surpreende. João Fukunaga, coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) e secretário de Assuntos Jurídicos do Sindicato dos Bancários de São Paulo aponta que a intenção de privatizar o BB não é novidade.

“Não são novidades esses ataques do Governo contra o Banco do Brasil”. João ainda afirma que “quem dentro da instituição acha que a privatização não seja uma intenção deste governo, vai dormir abraçado com a ameaça de seu emprego”.

Fukunaga ainda reafirmou o papel do banco público para o Brasil, e o plano de sucateamento da instituição.”O BB poderia desempenhar muito mais nesta pandemia como um verdadeiro Banco Público, mas trocou por ser muito menos que coadjuvante.”

Segundo Fukunaga, isso é um reflexo “da mentalidade entreguista e privatista de Guedes e do indicado por ele para administrar o BB, Rubem Novaes”. Porém, João Fukunaga afirma que os funcionários estão acordando para as reais intenções do Governo e também para sua linha econômica de Estado mínimo.

“Somos muito fortes unidos e precisamos estar juntos contra esses ataques. Precisamos que a sociedade se una conosco em defesa das empresas públicas”, finaliza.

ANABB pede explicações na justiça sobre fala de Guedes contra o BB

A Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB) também se mobilizou contra a fala de Guedes. Por isso, entrará na Justiça para saber o motivo da fala.

Em nota, a Associação repudia o “total descaso e escárnio em relação ao Banco do Brasil”. Ainda na nota, a Associação afirma que “[a fala do ministro] atropela o Legislativo que tem, por lei, e em nome de todos os brasileiros, a decisão final sobre a venda de empresas públicas”.

O Sindicato dos Bancários de São Paulo e a Contraf-CUT também se posicionaram sobre a afronta e o desrespeito ao Banco Público e aos funcionários.