Reconta Aí Atualiza Aí Explica Aí Baixa renda: Como se inscrever no Cadastro Único

Baixa renda: Como se inscrever no Cadastro Único

Cadastro

O Cadastro Único para Programas Sociais é um registro que reúne informações das famílias brasileiras de baixa renda. E é com base nesse cadastro que o Ministério da Cidadania fica sabendo quais as necessidades desses cidadãos.

Siga a página do Reconta Aí no Instagram.
Siga a página do Reconta Aí no Facebook.
Adicione o WhatsApp do Reconta Aí para receber nossas informações.
Siga a página do Reconta Aí no Linkedin.

Os brasileiros que estão com as informações atualizadas no Cadastro Único podem participar de vários programas sociais dos Governos Federal, estadual e municipal. Inclusive, é por meio deste cadastro que são selecionadas as famílias que vão participar do Bolsa Família.

Outro programa voltado para famílias de baixa renda e que solicita a inscrição no Cadastro Único é a Tarifa Social de Energia Elétrica. Com ela, as concessionárias de energia elétrica concedem descontos nas contas dos consumidores.

Mas para ter acesso a esses e vários outros programas, é preciso que o perfil da família esteja de acordo com os requisitos exigidos por cada um deles. Alguns dos programas são:

  • ​​Bolsa Família
  • Tarifa Social de Energia Elétrica
  • Minha Casa, Minha Vida
  • ID Jovem
  • Carteira do Idoso
  • Telefone Popular
  • Isenção de taxas em concursos públicos
  • Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti)​
  • Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais
  • Aposentadoria para pessoa de baixa renda
  • Brasil Carinhoso
  • Programa Bolsa Verde
  • Programa Cisternas
  • Carta Social
  • Pro Jovem Adolescente
  • Passe livre para pessoas com deficiência

Atenção! Quem já está no Cadastro Único, é importante deixar as informações sempre atualizadas. De acordo com o Ministério da Cidadania, essa atualização deve ser feita pelo menos a cada dois anos.

Solicitando o Cadastro Único

Para fazer parte desse registro, o brasileiro precisa solicitar o cadastro e é gratuito. Ele foi criado pelo Governo Federal, mas é a prefeitura de cada município que insere e atualiza as informações.

Então, é preciso procurar um Centro de Referência em Assistência Social (Cras) com toda a documentação em mãos. No entanto, a prefeitura realiza o cadastro dos brasileiros em municípios que não possuem Cras.

Uma pessoa será a responsável pela unidade familiar e é ela quem vai solicitar o cadastro. Esse cidadão precisa apresentar seu CPF ou título de eleitor. Além disso, ele precisa levar os documentos dos outros integrantes da família, que pode ser um dos listados abaixo:

Imagens do aplicativo oficial do Cadastro Único

Leia também:
– Aplicativo e-Título dispensa o uso do título e do documento com foto no dia da votação
Tributar super-ricos: Serão R$ 300 bilhões a mais na arrecadação de impostos
BEm: Como ficam as férias de quem teve o contrato de trabalho suspenso ou a redução de salário e jornada?

Faixa de renda para o Cadastro Único

Para realizar o cadastro, as famílias ou pessoas que moram sozinhas precisam seguir um dos pré-requisitos de faixa de renda. São eles:

– O salário de todas as pessoas da família somado e dividindo pelo número de membros da família deve ser até R$ 522,50 por mês; OU

– A soma dos salários de todas as pessoas da família deve ser até R$ 3.135; OU

– Os cidadãos estiverem em situação de rua; OU

– Não se enquadrar em nenhuma dessas situações, mas precisa estar no Cadastro Único para receber um serviço que o exige.

Dúvidas e informações

Em caso de dúvidas, reclamações e sugestões, o cidadão pode acessar o site da Ouvidoria do Ministério da Cidadania ou ligar para o telefone 121.