Reconta Aí Atualiza Aí Auxílio emergencial garantiu aumento de 50% na renda de informais

Auxílio emergencial garantiu aumento de 50% na renda de informais

renda de informais

O auxílio emergencial de R$ 600 garantiu, em média, um aumento de 50% na renda familiar de informais. Os dados são de uma pesquisa do Centro de Estudos de Microfinanças e Inclusão Financeira da Fundação Getúlio Vargas (FGVcemif) e foram divulgados pela Agência Bori.

“Os resultados do estudo revelam que, além de possuir uma renda usual inferior no período pré-pandemia, os trabalhadores informais teriam sido quase 2,5 vezes mais penalizados pela queda da atividade econômica em comparação aos formais (19% comparado a 8%), não fosse pelo efeito do AE que permitiu um ganho de renda equivalente a 50%”, diz uma parte do estudo.

A renda de informais passou de uma média de R$ 1.344 para R$ 2.016. O levantamento se baseou na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid-19 realizada em junho de 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Levando-se em conta as 26 categorias analisadas, que incluem trabalhadores formais e informais, caso não houvesse a concessão do auxílio emergencial, a renda teria caído, em média, 18%. Na média geral, o auxílio foi capaz de recompor e superar essa diminuição, gerando um aumento de 24%..

“O efeito sobre a renda de um auxílio de R$ 600 ou R$ 1.200 mostra quão pobre e desigual o Brasil é. Não é que os ganhos de renda tenham sido excessivos com o auxílio; a renda do trabalhador brasileiro é tão baixa que R$ 600 fazem diferença”, avalia Lauro Gonzalez, um dos autores do estudo, cujo título sintetiza a interpretação: Efeitos do Auxílio Emergencial sobre a Renda – excessivas são a pobreza e a desigualdade, não o auxílio.

De outro lado, os efeitos do auxílio emergencial devem ser considerados à luz da dinâmica econômica.

“Caso desemprego e perda de renda se aprofundem, os efeitos de aumento de renda pelo auxílio emergencial diminuirão. A indefinição sobre a continuidade de algum tipo de auxílio, sobretudo considerando a política de ajuste fiscal perseguida pelo governo, também pode afetar esse cenário”, explicou Gonzalez à Bori.