Reconta Aí Atualiza Aí Após sete meses de alta, vendas do comércio caem em dezembro

Após sete meses de alta, vendas do comércio caem em dezembro

As vendas do comércio varejista tiveram leve queda de 0,1% em dezembro, na comparação com novembro do ano passado, o que levou a interromper sete meses seguidos de crescimento. 

Apesar da queda em dezembro, o comércio fechou 2019 com alta. No acumulado em 2019, o setor cresceu 1,8% e fechou o terceiro ano consecutivo de taxas positivas.

No entanto, as vendas foram menores quando comparadas aos anos de 2017 (2,1%) e 2018 (2,3%). Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio, divulgada nesta quarta-feira (12) pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Vendas dos hipermercados caíram 1,2% e puxaram o resultado negativo do varejo em dezembro – Foto: Helena Pontes/Agência IBGE Notícias

Mesmo após três anos de crescimento, o comércio varejista ainda não se recuperou das perdas de 2015 e 2016 – o setor acumulou uma perda de 10,2% no período. Já nos três últimos anos de recuperação, o ganho acumulado chegou a 6,3%, conforme explica a gerente da pesquisa, Isabella Nunes.

“A presença de recurso livre adicional devido a liberação dos saques nas contas do FGTS a partir do mês de setembro e a melhoria na concessão de crédito à pessoa física são alguns fatores que podem ter influenciado esse resultado no segundo semestre. O comércio ainda não se recuperou totalmente da crise de 2015 e 2016, mas está em seu momento mais elevado desde outubro de 2014”, disse.

Seis das oito atividades pesquisadas pelo IBGE no comércio varejista apresentaram taxas negativas de novembro para dezembro, sendo que o que mais pesou no índice geral foi a queda em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo.

Também tiveram redução nas vendas Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, Combustíveis e lubrificantes.

Os números do varejo contrastam com o resultado da indústria, apresentado pelo IBGE na semana passada. Depois de dois anos no azul, a produção industrial recuou 1,1% em 2019.