Reconta Aí Atualiza Aí Caixa #ACaixaÉTodaSua: Movimentos, bancários e sociedade unidos em defesa da Caixa

#ACaixaÉTodaSua: Movimentos, bancários e sociedade unidos em defesa da Caixa

Nesta terça-feira (15), aconteceu na Sede III da Caixa Econômica, em Brasília, o pré-lançamento da campanha contra a privatização da instituição, feita pelo Comitê Nacional em Defesa da Caixa.

#ACaixaÉTodaSua

Com o mote #ACaixaÉTodaSua, o pré-lançamento da campanha reuniu as representações de bancários da capital federal, instituições como a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa (Fenae) e também representantes do Movimento Popular por Moradia do Distrito Federal e Região (AMORA).

Rodrigo Maia mandou mal

Jair Ferreira, presidente da Fenae, comentou a importância da Caixa como instituição pública e também criticou a fala do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que acusou a Caixa de “roubar R$ 7 bi por ano do FGTS dos trabalhadores”. Veja:

A deputada Erika Kokay, que é empregada da Caixa e fez questão de participar do ato, questionou a postura do presidente da instituição, Pedro Guimarães, que não rebateu as acusações de Maia. Ela também questionou a declaração do presidente da Câmara de que o recurso do FGTS não deve financiar moradia popular.

98% do crédito imobiliário para mais pobres vem da Caixa

“98% do crédito do crédito imobiliário para população de baixa renda vem da Caixa. E é por isso que o presidente falou, talvez com má-fé, talvez com ignorância, talvez com os dois”, disse.

“Neste momento em que a Caixa sofre vários ataques, temos que unir trabalhadores e a população em defesa desse patrimônio. Nós precisamos da Caixa inteira para continuar desenvolvendo os programas sociais de que o País tanto precisa”, declarou Sérgio Takemoto, que é da Contraf-CUT e vice-presidente da Fenae.

“A Caixa me deu dignidade”

Jaqueline, do AMORA, fez uma fala emocionada sobra a realidade em que vive e conhece muito bem. “A Caixa é uma entidade que olha pro povo. Sou grata à Caixa porque graças a ela eu tive a oportunidade de ter minha dignidade de volta. Hoje eu tenho moradia, portas abertas, um grupo que eu luto graças às oportunidades que ela nos dá”, disse.

Veja também: