Reconta Aí Atualiza Aí 31º CNFBB: Dieese destaca a importância dos Bancos Públicos para conter os impactos da crise

31º CNFBB: Dieese destaca a importância dos Bancos Públicos para conter os impactos da crise

Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal têm papel importante para arrefecer os impactos da crise

Ao participar neste domingo (12) do 31º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (CNFBB), Bárbara Vallejos, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) apresentou um resumo dos principais resultados do Banco do Brasil. Dentre os segmentos do Banco Público, Bárbara destacou o crédito para os setores rurais e pequenas empresas.

O debate em torno das micro e pequenas empresas tem sido central no momento da crise provocada por conta da pandemia de Covid-19. Ainda que o Governo Federal tenha disponibilizado o Pronampe, Bárbara lembrou que apenas duas instituições financeiras estão emprestando: o Banco do Brasil e Caixa. “Já emprestaram mais do que estava previsto para as duas instituições e já solicitaram um crédito maior”, disse.

A falta de interesse dos bancos privados no Pronampe pode ser explicada por conta da limitada taxa de juros. “É cobrada uma taxa de 3,5% de juros e não há interesse do setor privado em liberar esse crédito, mas as institutições financeiras públicas estão desempenhando esse papel”, disse. “É um papel relevante como ofertante de crédito que evita falências e que incide diretamente no tamanho da recessão brasileira, podendo atenuar a crise num montante bastante significativo”, completou.

Operações do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e
Empresas de Pequeno Porte (Pronampe)

  • Foram liberados R$ 3,2 bi às micro e pequenas empresas;
  • Apenas duas instituições financeiras estão operando o Programa;
  • 59,6% dos valores foram operados pelo Banco do Brasil;
  • 40,4% foram operados pela Caixa;
  • 61,3% direcionados às microempresas;
  • 38,7% direcionados às pequenas empresas;

Bárbara também falou sobre o crédito rural ofertado pelo Banco do Brasil nas regiões brasileiras. Segundo o Dieese, o Banco do Brasil respondeu por 78,2% do total de crédito no Centro-Oeste, 79,2% no Nordeste, 93,4% Norte e 58,9% no Sul.