Pular para o conteúdo principal

Advogados de Marcelo Arruda reiteram tese de assassinato por motivos políticos e não descartam apuração internacional

Imagem
Arquivo de Imagem
arruda

Advogados de Marcelo Arruda, tesoureiro do Partido dos Trabalhadores assassinado no último dia 10, divulgaram na tarde desta terça-feira (12) uma nota pública sobre a investigação do crime. Conforme afirma a nota, três advogados - Daniel Godoy Junior, Paulo Henrique Guerra Zuchoski e Ian Martin Vergas - foram constituídos pela famíla como assistentes técnicos no procedimento de apuração do crime.

Os advogados ressaltam que as imagens do momento do crime, amplamente divulgadas, mostram a motivação político-partidária do assassinato. No mesmo sentido, apontam que além do assassinato de Arruda, o atirador - Jorge José da Rocha Guaranho - colocou em risco a vida de dezenas de pessoas.

Além disso, os advogados ainda pedem que em uma eventual incapacidade das autoridades brasileiras investigarem o assassinato de forma isenta, pode ser necessário que haja uma investigação internacional, a fim de apurar a responsabilidade de terceiros. Em outras palavras, os advogados deixam a entender que a motivação do assassinato por ódio ao PT pode ter sido incentivadas pelas palavras do atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL).

Confira a nota dos advogados de Marcelo Arruda na íntegra

Os advogados abaixo assinados, constituídos pelos familiares de Marcelo Arruda como assistentes técnicos no procedimento criminal com vistas a apurar o crime de homicídio qualificado praticado por Jorge José da Rocha Guaranho, tem a declarar o que segue:

  1. O assassinato de Marcelo, conforme os fatos - inclusive imagens -
    trazidos a público até o momento, demonstra que ocorreu crime contra a
    vida motivado por ódio em face de razões políticas.
  2. O homicídio qualificado é crime hediondo, qualquer que seja a
    qualificadora.
  3. Além da vítima, o assassino colocou a vida de dezenas de pessoas em
    risco, o que indica que a atitude corajosa de Marcelo, ao repelir a injusta
    agressão, evitou que mais pessoas fossem mortas. Mais de 11 projéteis
    não deflagrados foram encontrados na pistola do assassino o que
    demonstra o potencial ofensivo e letal do ataque.
  4. O clima de consternação nacional e internacional motivado pelo assassinato e suas circunstâncias - para além das responsabilidades das autoridades institucionalmente designadas para a investigação do caso -
    indica a necessidade de apuração profunda acerca das motivações de natureza subjetiva que levaram o assassino a agir de forma brutal. É necessário investigar a influência de terceiros, partícipes ou não, integrantes de grupos organizados ou não, que instigaram o assassino a agir de forma cruel contra Marcelo e as demais pessoas presentes, tendo como mote o ódio político. Na eventual incapacidade de investigação das
    instituições até então atribuídas por lei para tanto, é possível que seja necessária uma investigação internacional para apurar, até o fim, as responsabilidades de terceiros para com o assassinato e as motivações do assassino.
  5. Os familiares de Marcelo Arruda, consternados, desejam e esperam que se faça Justiça !!!